Home Política Confira ações contra retrocessos de Temer. SP terá ato na Paulista às 16h
nacional

Confira ações contra retrocessos de Temer. SP terá ato na Paulista às 16h

Greves, protestos e atos públicos serão organizados desde o início da manhã desta segunda (19) contra a reforma da Previdência e a retirada de direitos da população
Publicado por Redação RBA
17:04
Compartilhar:   
Paulo Pinto/Agência PT
CUT reforma previdencia

São Paulo – Movimentos sociais e sindical mantém esta segunda–feira (19) como dia de mobilizações, greves e protestos para pressionar o Congresso a cancelar e arquivar definitivamente a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, que trata da “reforma” da Previdência. A decretação de intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro pelo governo de Michel Temer, na sexta–feira (16), levou à suspensão da votação da matéria pela Câmara, prevista para ser iniciada nesta terça (20). O presidente da CUT, Vagner Freitas, afirma, porém, que a pressão contra o governo deve ser ampliada neste momento para garantir que o direito à aposentadoria seja mantido.

“A nossa luta é para enterrar de vez a reforma e uma das estratégias é realizar uma forte mobilização no dia 19, com greves e paralisações, além de intensificar as ações nas ruas e nas redes. Nós não podemos aceitar, de forma alguma, que esse governo continue com esse tipo de medida contra os trabalhadores da periferia, como é o caso do Rio”, disse o dirigente.

O dia de atividades, programadas para desde as primeiras horas da manhã em todo o país (confira programação abaixo) terá seu maior ato na cidade de São Paulo onde, em frente ao Masp, na Avenida Paulista, será organizado ato público, com concentração a partir das 16h. No Rio, manifestação convocada por movimentos sociais se concentra também às 16h na Candelária.

Paralisações nas primeiras horas

Em São Paulo, o dia de mobilização contra a reforma da Previdência terá atos e assembleias de servidores e de professores municipais, além de paralisações dos bancários, químicos e outras categorias. Metroviários farão panfletagem nas estações. No ABC, os metalúrgicos vão parar atividades, assim como químicos e trabalhadores em confecção e professores da rede privada de ensino. Em diversas cidades do interior há atividades programadas.

O presidente do Sindicatos dos Metalúrgicos do ABC, Wagner Santana, o Wagnão, esteve na porta da Volkswagen e da Mercedes-Benz, onde ônibus chegavam vazios desde as primeiras horas na manhã desta segunda. “Os trabalhadores estão acatando as decisões de assembleias e estão aderindo ao movimento. Isso deve se repetir na Ford, Toyota, Scania e outras dezenas de fábricas”, disse Wagnão, na página da entidade no Facebook.

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) informa que a categoria também participará das paralisações, inclusive estendendo o movimento até esta terça-feira. Segundo a entidade, a direção da empresa pretende interromper a produção da maior refinaria de destilo, Landulpho Alves-Mataripe, (RLAM, em São Francisco do Conde, Bahia). A medida abre caminho para a privatização da refinaria, que, assim como várias outras unidades da Petrobras, está com a carga de produção muito abaixo de sua capacidade.

Confira a agenda de mobilização nas principais capitais. As informações são da CUT:

Bahia

Em Salvador, terá manifestação no Iguatemi, a partir das 7h. No período da tarde, a concentração começa às 15h para o ato no Campo da Pólvora.

Ceará

Em Fortaleza, haverá atos e paralisações em todas as regiões, sendo a maior delas marcada no centro, a partir das 9h. Haverá uma caminhada pelas ruas do centro com concentração na Praça da Bandeira;

Cariri: 8h – concentração na passarela da avenida Padre Cícero (na CE 292, entre Juazeiro do Norte e Crato);

Crateús: 7h – Praça da Matriz;

Iguatu: 8h – concentração na Praça da Caixa Econômica;

Itapipoca: 8h – em frente ao prédio do INSS;

Sobral: 7h30 – Praça de Cuba;

Vale do Jaguaribe: 5h – concentração no Triângulo de Peixe Gordo em Tabuleiro do Norte.

Brasília

Ato às 17h, no Museu da República.

Espírito Santo

Em Vitória, as 9h, tem concentração na Praça 8 e caminhada até a sede do INSS, onde ocorrerá um ato público.

Mato Grosso

Em Cuiabá, às 8h, ato no INSS da Avenida Getúlio Vargas.

Pará

Belém – às 7h, ação nas agências bancárias da Avenida Presidente Vargas. Às 11h, ato no Mercado São Brás;

Marabá – às 7h30, panfletagem em frente à agência do INSS. Às 9h, audiência pública na Câmara Municipal.

Paraná

Curitiba – às 8h, panfletagem no Terminal Guadalupe – esquina das Ruas Marechal Deodoro e João Negrão. Às 9h, panfletagem em frente à agência do INSS. Às 10h, concentração seguida de aula pública na Boca Maldita. A partir das 14h, panfletagem na Assembleia Legislativa.

Pernambuco

Recife – às 15h, ato público no Parque 13 de Maio.

Piauí

Teresina – ato às 8h, na Praça Rio Branco. Outro ato público está marcado no aeroporto da cidade, a partir das 14h.

Rio de Janeiro

Ação no aeroporto Santos Dumont, pela manhã, no embarque dos deputados para Brasília. Ato público a partir das 16h, na Candelária;

Campo dos Goytacazes – concentração a partir das 8h no Sindicato dos Bancários, seguida de caminhada até o Calçadão e encerramento com ato público.

Rio Grande do Norte

Natal – ato a partir das 14h, em frente à agência do INSS da Rua Apodi, no Tirol.

Rio Grande do Sul

Porto Alegre – às 5h, marcha do Laçador até o aeroporto. A partir das 7h, concentração seguida de ato público em frente à agência do INSS da rodoviária. Ato público, às 17h, na Esquina Democrática.

Santa Catarina

Florianópolis – o transporte coletivo municipal ficará paralisado durante todo. A partir das 9h, a CUT e demais centrais sindicais e entidades planejam “arrastão” por ruas do centro para fechar o comércio e agências bancárias. A partir das 16h, concentração para ato público na Praça de Lutas, que terminará com passeata até a agência do INSS;

São Miguel do Oeste – às 10h30, ato na praça central;

Chapecó – 9h, concentração na Praça Coronel Bertaso e ato nos bancos Itaú e Bradesco;

Xanxerê – 13h30, ato em frente ao Bradesco;

Criciúma – 8h. ato em frente à agência do INSS;

Caçador – 9h, ato no Largo Caçanjure;

Lages – 14h, ato em frente ao prédio da Previdência Social;

Blumenau – 15h, ato em frente à Prefeitura;

Rio do Sul – 7h, ato em frente à agência do INSS;

Joinville – 13h30, concentração em frente à Tupy. A partir das 16h, concentração e ato na Praça da Bandeira;

Jaraguá do Sul – 13h, ato em frente à empresa WEG;

Canoinhas – 9h; ato na Praça do Chimarrão.

São Paulo

São Paulo – Trabalhadores ligados ao Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo (Sindsep), farão ato e assembleia, às 13h, na Rua da Quitanda. O Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de São Paulo (Sinpeem) fará ato em frente à prefeitura, no Viaduto do Chá, às 14h;

Químicos e bancários também preparam mobilizações durante todo o dia. Metroviários mobilizam suas bases e farão panfletagem nas estações do Metrô Jabaquara, Itaquera, Brás, Barra Funda, Luz, Tamanduateí e Capão Redondo;

Às 16h, concentração seguida de ato público, em frente ao Masp, na Avenida Paulista.

ABC – Base dos metalúrgicos, composta por 70 mil trabalhadores, se mobilizará por greve desde o início da manhã. Químicos e trabalhadores de confecções também paralisam atividades. Em Mauá, trabalhadores da saúde farão protestos em frente ao Hospital de Clínicas Radamés Nardini. Há previsões de mobilizações em agências e bancárias e centros comerciais das cidades da região.

Baixada Santista – CUT, sindicatos e movimentos ligados à Frente Brasil Popular fazem panfletagem na Alfândega, na Praça da República, no centro histórico de Santos. Às 12h haverá panfletagem e diálogo com a população na Praça Rio Branco centro de São Vicente. Às 18h, as entidades farão ato contra a retirada de direitos, na Praça da Independência, no bairro Gonzaga, em Santos.

Bauru – Movimentos e sindicatos farão ato em frente ao INSS, no centro da cidade.

Campinas – Trabalhadores do transporte, os urbano e os fretados, irão paralisar serviços. Petroleiros, setores de energia e da construção civil também fazem greve. Servidores ligados ao sistema judiciário também mostrarão adesão aos protestos. Encerramento com ato público, às 17h, no Largo do Rosário.

Guarulhos e Arujá – Greve dos condutores e cobradores irá atingir o transporte. Bancários confirmam paralisação nas principais agências. Trabalhadores da construção civil, aeroviários e aeroportuários sinalizam participação ao movimento.

Jundiaí – Sindicatos e movimentos organizam protestos, panfletagem e diálogo com a população no calçadão do centro da cidade, a partir das 9h.

Matão – Metalúrgicos terão assembleias com atraso, a partir das 6h30, nas empresas da região.

Mogi das Cruzes e região – Panfletagem na estação de trem. A partir das 9h30, concentração e ato público na Praça dos Expedicionários.

Presidente Prudente – Trabalhadores e movimento estudantil se concentram a partir das 15h em frente ao INSS, para ato em defesa da aposentadoria.

Ribeirão Preto – Assembleias de trabalhadores e panfletagem no calçadão do centro. Às 17h, está previsto ato no campus do Hospital das Clínicas.

São Carlos – O Sindicato dos Metalúrgicos fará assembleia nas empresas da região. A partir das 9h, concentração na Praça Itália, seguida de marcha até a estação ferroviária. Trabalhadores de Araraquara se somam ao dia de luta neste ato.

São José do Rio Preto e Catanduva – Bancários param as principais agências das cidades. Também haverá panfletagem no Terminal Rodoviário de São José do Rio Preto.

Sorocaba – Os trabalhadores em empresas de transportes urbano, intermunicipal, rodoviário, de fretamento e de cargas irão cruzar os braços por 24 horas. A greve irá atingir os 42 municípios da região, de Araçariguama até Itararé, passando pelos municípios das regiões de Sorocaba, São Roque, Itapetininga e Itapeva. Os metalúrgicos e químicos também sinalizam paralisação nas fábricas.

Vale do Ribeira – 14h, na cidade de Registro, ato público em frente ao INSS, no bairro Vila Tupy.

Sergipe

Aracaju – às 14h, no Palácio dos Despachos, ato unificado dos servidores públicos do Estado.