Mais um nome

Bolsonaro indica secretário do Paraná para o Ministério da Educação

Renato Feder era um dos nomes cogitados antes de Carlos Decotelli, mas contra sua indicação havia pesado o apoio ao governo de João Doria

Reprodução/Arquivo pessoal
Feder: convite ocorre após a saída de Abraham Weintraub e desistência de Carlos Decotelli

São Paulo – O presidente Jair Bolsonaro convidou nesta sexta-feira (3) o secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, para o posto de ministro da Educação. O convite ocorre após a saída de Abraham Weintraub e a desistência de Carlos Decotelli.

Feder foi um dos nomes aventados pela Oresidência nos últimos dias antes de Decotelli ser convocado na semana passada. Mas, segundo o jornal Folha de S.Paulo, pesou contra o nome do secretário o fato de ele ter sido “um dos principais doadores da campanha de João Doria ao governo de São Paulo, em 2018”.

O site da Secretaria de Educação do Paraná informa que Renato Feder é mestre em Economia pela Universidade de São Paulo (USP) e graduado em Administração pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). “Foi professor da Educação de Jovens e Adultos, lecionou matemática por dez anos, além de ter sido diretor de escola por oito anos. Também foi assessor voluntário da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, além de ter atuado como empresário do setor de tecnologia.”

Além de Feder, Anderson Correia, atual reitor do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), foi sondado por assessores do governo e enviou o currículo para análise, mas não teve resposta. Outros nomes foram cotados. Entre eles, o ex-assessor do Ministério da Educação Sérgio Sant’Ana e o conselheiro do Conselho Nacional de Educação (CNE) Antonio Freitas, que é pró-reitor na FGV e cujo nome aparecia como orientador do doutorado não realizado por Decotelli.