Crise

PIB recua ante 2019 e acumula retração de 3,4% em 12 meses. Consumo também cai

Em relação ao terceiro trimestre de 2019, queda foi de 3,9%. Produto cresce (7,7%) apenas ante o estagnado segundo trimestre deste ano. Consumo das famílias volta a cair

Reprodução/Montagem RBA
De janeiro a setembro, o PIB caiu 5%. Só a agropecuária teve crescimento

São Paulo – O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro do terceiro trimestre caiu 3,9% em relação a igual período de 2019, informou o IBGE na manhã desta quinta-feira (3). No acumulado em 12 meses, registra retração de 3,4%. Na passagem do segundo para o terceiro trimestre deste ano, tem alta de 7,7%, uma alta esperada considerando a estagnação no segundo período de 2020, mas abaixo das previsões do próprio governo.

A queda do PIB se dá em uma economia que já andava de lado mesmo antes da pandemia. Em dado revisado, conforme divulgado hoje, o PIB de 2019 cresceu apenas 1,4% – o número anterior era de 1,1%. Em valores correntes, o Produto brasileiro soma R$ 1,891 trilhão.

No primeiro trimestre deste ano, o PIB acumulado em quatro trimestres apontava pequena alta, de 1%. No segundo , na mesma soma, passou a registrar queda (-2,1%). E agora chega a -3,4%.

Consumo menor

Na terceira queda seguida nessa base de comparação, o consumo das famílias caiu 6% frente ao terceiro trimestre do ano passado. Segundo o instituto, com influência da pandemia de covid-19, que, “além de afetar negativamente o mercado de trabalho, provocou queda na oferta e demanda de serviços com peso relevante no consumo”.

A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), um indicador de investimento caiu 7,8% no terceiro trimestre em relação a igual período de 2019. As exportações tiveram queda de 1,1% e as importações, por sua vez, despencaram: -25%.

Nos quatro último trimestres, o consumo das famílias recua 4,1%. A taxa de investimento foi calculada em 16,2%, praticamente estável ante 2019 (16,3%). No período 2010-2014, essa taxa ficou acima de 20%, em média.

No ano, só agropecuária

De janeiro a setembro, o PIB cai 5% na comparação com igual período do ano passado. Apenas a agropecuária cresce: 2,4%. A indústria recua 5,1% e os serviços, 5,3%.

No PIB do terceiro trimestre, também em relação a 2019, a agropecuária tem leve alta, de 0,4%. Segundo o IBGE, o resultado se explica, principalmente, pelo crescimento da produção e ganho de produtividade” na agricultura, que superou o ” fraco desempenho” de pecuária e pesca. da Pecuária e da Pesca.

Já a indústria registrou queda de 7,9%. A construção caiu 7,9%, “corroborada pela queda da ocupação nessa atividade”. E o segmento de transformação variou -0,2%.

Com alta do petróleo e gás, o setor extrativo cresceu 1%. Os serviços, por sua vez, caíram 4,8%.

Base deprimida

A comparação do terceiro trimestre para o segundo (7,7%) é prejudicada pela base econômica deprimida. O PIB havia caído 1,5% no primeiro trimestre e 9,6% no segundo, sempre em relação ao imediatamente anterior.

Ainda do segundo para o terceiro trimestre, aponta o IBGE, a agropecuária caiu 0,5%. Já a indústria acumulou alta de 14,8% (com destaque para o setor de transformação, 23,7%) e os serviços, de 6,3%.

A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), um indicador de investimentos, cresceu 11% em relação ao trimestre imediatamente anterior. O consumo das famílias teve expansão de 7,6% e o do governo, de 3,5%. As exportações caíram 2,1%, enquanto as importações recuaram 9,6%.