Indicador

Vendas no comércio têm queda nas vendas e ritmo menor em um ano

De dezembro para o primeiro mês de 2020, queda foi de 1%, com que recuo em setores como móveis e supermercados

CC.0 Commons
Vendas no setor que inclui supermercados caíram no primeiro mês de 2020

São Paulo – De dezembro para janeiro, as vendas no comércio varejista caíram 1%, segundo o IBGE. De acordo com a pesquisa divulgada nesta terça-feira (24), o volume de vendas cresceu 1,3% na comparação com janeiro do ano passado, mostrando queda de ritmo – em dezembro, também em relação a igual mês de 2018, havia subido 2,6% e em novembro, 3,1%. No acumulado em 12 meses, as vendas sobem 1,8%.

Com o chamado comércio varejista ampliado, que inclui veículos, motos e peças e material de construção, as vendas aumentaram 0,6% no mês e 3,5% em um ano. O acumulado em 12 meses registra alta de 3,9%.

Segundo o instituto, em janeiro houve “disseminação de taxas negativas” entre as atividades pesquisadas. Com isso, o setor continua 5,4 pontos percentuais abaixo do nível recorde, registrado em outubro de 2014. A atividade caiu em 16 das 27 unidades da federação.

De dezembro para janeiro, caíram as vendas de móveis e eletrodomésticos (-1,9%), equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-1,6%), combustíveis e lubrificantes (-1,4%) e hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-1,2%), entre outros. O segmento de tecidos, vestuário e calçados cresceu 1,3%. Veículos e motos, partes e peças cresceu 8,5%.

Na comparação janeiro-janeiro, móveis e eletrodomésticos se destaca,com alta de 11%, além de tecidos, vestuário e calçados (4,2%). O setor que inclui hipermercados e supermercados cai 2,8%, na maior pressão negativa da pesquisa, enquanto a área de veículos novamente vai bem, com aumento de 10,2%.