Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2011 / 03 / PIB de 2010 cresceu 7,5%, melhor resultado em 25 anos

PIB de 2010 cresceu 7,5%, melhor resultado em 25 anos

Consumo das famílias aumentou pelo sétimo ano seguido. Segundo o IBGE, economia cresceu 3,6% ao ano na década, em média, superando o período anterior (2,6%).
por Vitor Nuzzi, da RBA publicado 03/03/2011 09h42, última modificação 03/03/2011 13h11
Consumo das famílias aumentou pelo sétimo ano seguido. Segundo o IBGE, economia cresceu 3,6% ao ano na década, em média, superando o período anterior (2,6%).

Atividade industrial entre os destaques do crescimento da economia do país (Foto: Arquivo)

São Paulo – Dentro das previsões, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 7,5% em 2010, no melhor resultado desde 1985 (7,8%) e equivalente ao de 1986.  A indústria subiu 10,1%, agropecuária, 6,5% e os serviços, 5,4%. As três atividades compõem o valor adicionado, que cresceu 6,7%, enquanto os impostos aumentaram 12,5%. Em valores correntes, o PIB atingiu R$ 3,675 trilhões, enquanto o PIB per capita chegou a R$ 19.016, alta de 6,5% sobre 2009 (R$ 16.634).

Segundo o IBGE, que divulgou os números nesta quinta-feira (3), de 2001 a 2010 o crescimento anual médio foi de 3,6%, acima do resultado da década anterior (1991-2000), que subiu 2,6%. Já o PIB per capita passou de 1,1% para 2,4% ao ano.

O instituto observa que o PIB do ano passado foi beneficiado pela baixa base de comparação de 2009, quando houve recuo de 0,6%. Mas o resultado trouxe dados positivo como o crescimento do consumo das famílias (7%) pelo sétimo ano seguido. Já a formação bruta de capital fixo, que indica investimentos, subiu 21,8%, maior taxa acumulada em quatro trimestres desde 1996, quando se iniciou a série. A taxa de investimento chegou a 18,4% do PIB,  ante 16,9% em 2009. Já a taxa de poupança passou de 14,7% para 16,5% do PIB. A despesa da administração púbica aumentou 3,3%.

As exportações aumentaram 11,5%, enquanto as importações cresceram bem mais, 36,2%. "Contribui para este quadro a valorização cambial ocorrida entre 2009 e 2010", diz o IBGE.

O destaque da indústria (crescimento de 10,1% no ano) foi o setor extrativo-mineral (15,7%), seguido pela construção civil (11,6%). A indústria de transformação teve expansão de 9,7%.

Na agropecuária, o resultado (alta de 6,5%) refletiu, segundo o IBGE, o aumento de produção de várias culturas importantes, como soja (20,2%), trigo (20,1%), café (17,6%), milho (9,4%), cana (5,7%) e laranja (4,1%).

Nos serviços (crescimento de 5,4%), o instituto destacou as atividades de  intermediação financeira e seguros e o comércio, ambas com  alta de 10,7%.  "O crescimento da população empregada e da massa real de salários, ao lado da expansão do crédito ao consumo, sustentaram um crescimento das vendas", afirmou o IBGE.

Trimestres

A economia brasileira cresceu 0,7% do terceiro para o quarto trimestre do ano passado. A indústria mostrou desaceleração, caindo 0,3%. Os serviços cresceram 1% e agropecuária recuou 0,8%.

Em relação ao quarto trimestre de 2009, a alta foi de 5%. A atividade no setor de serviços cresceu 4,6% e a indústria subiu 4,3%, enquanto a agropecuária teve expansão de 1,1%.