SEM ARRAIÁ

Sem festas tradicionais, São João é comemorado em eventos virtuais

Sem a possibilidade aglomeração e o contato entre pessoas, muitas regiões do Nordeste sentem o impacto da ausência das festas juninas

EBC
Levantamento feito pela 'Folha de S.Paulo' mostram que a data representa de 18% a 20% da economia de pequenos municípios ao ano

São Paulo – A tradicional festa de São João vive um ano atípico, que tem impacto sobretudo na cultura e economia dos municípios do nordeste. Por conta da pandemia do novo coronavírus, o dia de São João, comemorado nesta quarta-feira (24), não possui nas ruas ou praças as decorações, quermesses, fogueiras ou arraiais.

Sem a possibilidade aglomeração e o contato entre as pessoas, muitas regiões sentirão os impactos da ausências das festas juninas. Para os quadrilheiros, o planejamento da data começa em agosto e vai até julho do ano seguinte.

Ao Brasil de Fato, o assistente administrativo Silvio Araújo, que trabalha na organização da festa junina, em Petrolina (PE), explica que interrompeu toda a apresentação na cidade. “Tudo estacionou e estamos com o coração na mão. Vamos continuar trabalhando para fazer acontecer no ano que vem”, afirmou.

“A gente gasta um valor muito alto. Nós, quadrilheiros, fazemos rifas, bingo e vamos pedir dinheiro na rua para montar o espetáculo, que envolve cenário, figurino e outras coisas”, acrescentou Silvio.

Levantamento feito pela Folha de S.Paulo mostra que a data representa de 18% a 20% da economia anual de pequenos municípios na região do semiárido nordestino. Com a suspensão das festividades, a economia pode sofrer uma retração adicional do PIB de 2% a 3% em 2020, para além dos cerca de 8% já projetados.

Arraial

Os festejos ocorrerão em alguns locais, mas de um jeito diferente. O Arraiá da Reforma Agrária, organizado pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), será feito por meio de uma série de lives nas redes sociais com diversos convidados. A próxima está programada para o dia 29 de junho, às 19h.

Além disso, também será compartilhado nas redes do movimento algumas receitas típicas da data, mas com os produtos da Reforma Agrária, aproveitando a colheita do milho, que já está sendo posta em bolo, pipoca, curau, pamonha, entre outras comidas tradicionais.

Para não deixar a festa sem comemoração, o SESC Pernambuco organizou uma extensa programação junina chamada Pé-de-Sesc, que iniciou nesta terça-feira (23) e vai até o dia 30 de junho. Diversas bandas de forró homenagearão a data.

Hoje, está marcado o “Grande Encontro do Forró”, que terá shows virtuais de Silvia Regina, Wagner Carvalho, Alana Carla e George Silva, às 19h. Até o dia 30 muitos outros artistas vão se apresentar, tais como Ébano Nunes, Miltinho Magalhães, as bandas Emanoel Pontual e Paralelos, Mala sem Alça, Moleca Safada e os Diálogos de Manifestações Culturais.