Home Cultura O belo encontro do violino de Ricardo Herz com a orquestra cubana Camerata Romeu
Nova Música Brasileira

O belo encontro do violino de Ricardo Herz com a orquestra cubana Camerata Romeu

Violinista conta no "Hora do Rango" como foi gravar com a famosa orquestra cubana de cordas, composta somente por mulheres
Publicado por Luciano Velleda, para a RBA
11:27
Compartilhar:   
Divulgação/Ricardo Herz

O encontro de Ricardo Herz com a Camerata Romeu resultou no álbum "Nova Música Brasileira para Cordas", gravado ao vivo em Havana

São Paulo — O violinista Ricardo Herz é o convidado desta quinta-feira (15) do programa Hora do Rango, a partir do meio-dia, na Rádio Brasil Atual. Influenciado pela sonoridade de Dominguinhos, Luiz Gonzaga, Egberto Gismonti, Jacob do Bandolim, entre outros, Herz mistura ritmos brasileiros e africanos, com pitadas de improvisação do jazz. Seu último álbum, Nova Música Brasileira para Cordas, apresenta composições e arranjos próprios gravados com a Camerata Romeu, orquestra cubana de cordas formada somente por mulheres. 

Gravado ao vivo em julho de 2018, na Basílica Menor de São Francisco de Assis, sede da orquestra em Havana, o disco tem no repertório canções como Upa, Gil e Hamilton, Elegia, Inocente, De Ontem pra Amanhã, Minhoca, Chamaoque?, Saci, Quase Caindo e Mourinho

“Quando soube que, em abril de 2018, elas voltariam ao Brasil para fazer um show, eu estava com uma viagem planejada para a Alemanha. Cancelei a viagem para estar em São Paulo neste período. Me preparei para o encontro, decidi arranjar para a orquestra de cordas duas músicas minhas e dar os arranjos de presente para a Camerata. Com a ajuda de Myriam Taubkin, fui apresentado para a maestrina Zenaida”, conta Herz.

“Eu escutei a música dele e adorei”, explica Zenaida. “Música límpida, enérgica, nova e fresca, ritmicamente intensa, bem concebida e com as complexidades e o gosto da música brasileira”, completa. Meses depois do encontro Ricardo Herz já estava em Havana para gravar o disco. Segundo Zenaida, a orquestra ficou surpresa não só com o impacto de sua música e a variedade de suas soluções artísticas, mas com sua brilhante performance como violinista.

A Camerata Romeu é uma Orquestra de Câmara Feminina, fundada em Havana, em 1993, por Zenaida Romeu, com o apoio da Fundación Pablo Milanés, e que tem como objetivo promover compositores da América Latina. A orquestra, que toca do Barroco à Rumba, tornou-se uma importante escola formando dezenas de jovens instrumentistas que integram orquestras em Cuba e no mundo. Nesses 26 anos, a Camerata Romeu participou de festivais internacionais de música e fez turnês por diversos países da Europa, América Latina e Estados Unidos.

Depois de morar por nove anos na França, Ricardo Herz retornou ao Brasil em 2010 e, desde então, tem se apresentado como solista com orquestras de todo o país, como a Orquestra Jazz Sinfônica, Orquestra Sinfônica de João Pessoa, Orquestra Municipal de Jundiaí, Orquestra Filarmônica de Violas, Orquestra Breusil, entre outras. O violinista ainda fez parcerias com Yamandú Costa, Dominguinhos, Nelson Ayres, Proveta, entre outros músicos.

O programa

Hora do Rango, apresentado por Colibri Vitta e premiado pela Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA), recebe ao vivo, de segunda a sexta-feira, ao meio-dia, sempre um convidado diferente com algo de novo, inusitado ou histórico para dizer e cantar. Os melhores momentos da semana são compilados e reapresentados aos sábados e domingos, no mesmo horário.