Véio da Havan

Luciano Hang, dono da Havan, é multado em R$ 20 mil por ‘fake news’ contra reitor da Unicamp

Empresário bolsonarista terá de indenizar reitor da Unicamp por mentira propagada nas redes sociais. Para atacar universidades, Hang disse que reitor gritou em formatura “vila la revolução”

Reprodução
Para magistrado, empresário tentou cunhar "pecha de radical e extremista" em reitor. Além da multa, Hang terá de fazer post de retratação

São Paulo – O empresário bolsonarista Luciano Hang, dono das lojas Havan, foi condenado pela Justiça de São Paulo ao pagamento de R$ 20,9 mil por espalhar fake news contra o reitor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Marcelo Knobel. Em 24 de abril de 2019, de acordo com o colunista do portal UOL Rogério Gentile, Hang escreveu no Twitter que o reitor havia gritado “viva la revolução (sic)” durante uma formatura.

No post, o dono da Havan atacou argumentando ainda “e depois dizem que nossas universidades não estão contaminadas? Vá para Venezuela Reitor FDP (sic)”. A mensagem foi amplamente divulgada nos grupos de apoio ao presidente Jair Bolsonaro, o qual Hang é um dos grandes entusiastas

Mas, de acordo com a constatação do juiz de Direito Mauro Iuji Fukumoto, da 1ª vara da Fazenda Pública de São Paulo, a história não se passava de uma mentira. O empresário bolsonarista foi condenado a multa por indenização a título de danos morais. E deve também se retratar na rede social com o mesmo número de linhas do tweet original. 

Na decisão, o magistrado afirmou ainda que Hang queria atribuir ao reitor da Unicamp, a partir de uma informação falsa, a “pecha de radical e extremista, alguém que, em um evento acadêmico, manifesta uma posição política sem qualquer relação com o contexto, sendo incapaz de dissociar sua suposta opção ideológica dos deveres inerentes ao cargo que ocupa.”

Ao colunista, a defesa do empresário disse que ele “apenas reproduziu o que um amigo lhe contara”.