Home Cidadania Luta de mulheres negras por moradia digna é destaque no Festival Latinidades
Protagonistas

Luta de mulheres negras por moradia digna é destaque no Festival Latinidades

Realizado pela primeira vez na capital paulista, evento teve início nesta terça (23) levantando diversas frentes de atuação no campo social
Publicado por Clara Assunção
12:38
Compartilhar:   
TVT/Reprodução

Festival ocorre até sábado (27) destacando o protagonismo das mulheres negras em diversas áreas do conhecimento. Entrada é gratuita

São Paulo – Começou nesta terça-feira (23) a 12ª edição do Festival Latinidades, no Centro Cultural São Paulo (CCSP), no Paraíso, zona sul de São Paulo. O evento, que ocorre na semana em que se comemora o Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, tem como objetivo promover a produção artística, cultural, política e intelectual das mulheres negras pelo mundo.

Considerado o maior festival do gênero na América Latina, o encontro deste ano traz como tema a reintegração de posse, inspirado na artista, ativista política e deputada estadual Erica Malunguinho (Psol) e na historiadora e também artista e ativista Beatriz Nascimento. De acordo com a organização, a proposta é lançar um olhar para toda a produção das mulheres negras na sociedade que não puderam ser usufruídas por conta do racismo.

A antropóloga, ativista e professora Keisha-Khan Perry foi uma das convidadas a tratar da temática durante a estréia do evento.  Nascida na Jamaica, mas vivendo nos Estados Unidos, à repórter Martha Raquel, do Seu Jornal, da TVT, a antropóloga conta sua pesquisa, que tem desenvolvido por todo o continente americano, sobre a luta de mulheres negras por moradia digna. “Eu acho que onde e como você mora, a qualidade da sua casa, é para mim um direito básico, um direito humano, que as mulheres e muitas pessoas têm reivindicado aqui no Brasil e também pelo mundo todo”, destaca Keisha-Khan.

O festival está dividido entre mesas de debates, palestras, oficinas e apresentações culturais, e conta ainda com espaço de fortalecimento na rede de mulheres negras empreendedoras que expõem seu trabalho em diversas áreas. “Empreender é um ato político e uma forma que nós, mulheres negras, encontramos de estar inseridas no mercado de trabalho”, avalia a afro-empreendedora e psicóloga Ana Paula Patrício. Com entrada gratuita, o evento vai até sábado (27) no CCSP.

Assista à reportagem da TVT