cidade à venda

Frente Povo Sem Medo ocupa subprefeituras contra privatizações em SP

Para os manifestantes, Doria está dando 'cheque em branco' que permite a venda de parques, o Pacaembu, terminais de ônibus, bilhete único e até cemitérios e serviço funerário, entre outros bens do município

Mídia Ninja
Ocupação Itaquera

Movimentos querem discutir impactos das privatizações de Doria para a população da periferia de SP

Nocaute – Militantes da Frente Povo Sem Medo ocuparam na manhã desta terça-feira (26) as subprefeituras de Campo Limpo, na zona sul da cidade de São Paulo, e de Itaquera, na zona leste, para protestar contra o pacote de privatizações da gestão de João Doria (PSDB).

A exigência é que a prefeitura faça audiências públicas para ouvir a população sobre as privatizações, mas também para que sejam discutidos os impactos dessas concessões, sobretudo para quem mora na periferia de São Paulo.

A Frente também lançou um manifesto intitulado João Doria tem medo de quem ???. “O ‘novo’ não se faz com palavras ditas ao vento mas com atitude. Se o governo João Dória quer ser mesmo diferente dos seus colegas políticos não deve ter medo de realizar um amplo debate com os paulistanos sobre os rumos e problemas da cidade. Não deve ter medo de debater as privatizações e outros problemas da cidade”, diz o documento.

“Esses PLs são um cheque em branco que permitem a venda de parques, cemitérios, serviço funerário, Estádio do Pacaembu, Anhembi, terrenos até 10 mil m2, mercados municipais, terminais de ônibus, bilhete único. Dois deles já foram aprovados em segundo turno, o 364 e o 367. Tudo isso sem a população ser ouvida. A implementação dessas privatizações e concessões mudará a cidade definitivamente”, diz outra parte do manifesto.

No dia 10 de agosto, estudantes ocuparam a Câmara dos Vereadores de São Paulo para fazer a mesma exigência, que a tanto o Legislativo municipal como o prefeito convocassem audiências públicas para tratar do assunto.

Em nota sobre a ocupação desta manhã, a prefeitura disse que “todo o processo para concessão de equipamentos públicos está sendo dirigido com total transparência e participação da sociedade. Foram realizadas 19 audiências públicas na Câmara e dia 29 haverá mais uma. Há um amplo debate no legislativo sobre cada equipamento; os projetos em locais tombados foram encaminhados aos órgãos responsáveis, e os processos publicados em Diário Oficial”.

“Vale lembrar”, diz ainda a nota, “que as privatizações e concessões, para desonerar o poder público e investir em áreas prioritárias como saúde e educação, já constavam no plano de governo, eleito em primeiro turno na cidade de São Paulo. Com relação às ocupações, os prefeitos regionais receberam os grupos para dialogar e, no momento, apenas a Regional de Campo Limpo permanece ocupada. Uma comissão já está sendo recebida pelos responsáveis”.

Veja como foi o protesto em Campo Limpo:

O protesto em Itaquera: