Pecuária

Empresa ligada ao BTG Pactual lidera devastação no Pantanal, aponta Ibama

Reportagem do site De Olho nos Ruralistas mostra que BRPe recebeu, em 2018, multa de R$ 57,9 milhões por desmatamento em Corumbá (MS), a maior para o bioma em toda a história. Conselheiros do banco são sócios da empresa

Arquivo/Agência Brasil
BTG Pactual diz que criação de gado no Pantanal tem melhores práticas de manejo sustentável

São Paulo – A empresa BRPec, ligada ao banco BTG Pactual, é a maior desmatadora do Pantanal. Em 2018, ela foi multada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em R$ 57.999.500. Foi a maior multa já registrada por devastação da vegetação do bioma pantaneiro.

O ranking das maiores autuações na região, que foi divulgado nesta terça-feira (20), faz parte de matéria de Leonardo Fuhrmann, na série de De Olho no Desmatamento, do site De Olho nos Ruralistas. Foram computadas infrações ambientais desde 1995.

As multas por devastação da flora são calculadas pelo Ibama com base na área desmatada. Com sede em Corumbá, no Mato Grosso do Sul, a BRPec foi a única a ser autuada em mais de 50 milhões por danos ambientais no Pantanal. Em segundo lugar, na mesma cidade, aparece a mineradora MMX, do empresário Eike Batista, multada em R$ 15,2 milhões.

A atividade principal da BRPec é a produção de gado para corte. Ela tem entre os sócios Marcelo Del Nero Fiorellini e Antonio Carlos Canto Porto Filho, que ocupam cargos no conselho de administração do BTG. Considerado o maior banco de investimentos do país, o BTG Pactual tem entre os seus fundadores o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Atualmente, o banco é presidido por André Esteves, um dos dez maiores bilionários brasileiros, segundo a revista Forbes. Em 2014, ele doou R$ 300 mil para a campanha a deputada federal de Tereza Cristina (DEM-MS), atual ministra da Agricultura do governo Bolsonaro.

Em nota, o BTG afirmou, “que a BRPec é uma empresa controlada por um fundo gerido pelo banco e pratica as melhores e mais modernas técnicas de manejo sustentável de suas fazendas, com o objetivo de manter o equilíbrio e o manejo correto das pastagens, dos rebanhos e dos recursos naturais”.

Confira a íntegra da matéria


Leia também


Últimas notícias