Na Câmara

Oposição quer urgência em PL do Pantanal. Bolsonaro acha graça em queimadas

Enquanto a oposição quer urgência na proteção do Pantanal, consumido há semanas pelas chamas, equipe de Bolsonaro parece se divertir com a situação

Reprodução/Youtube
Incêndio recorde consome o Pantanal, destruindo florestas e matando animais

São Paulo – Lideranças da oposição na Câmara protocolaram hoje (8) requerimento de urgência para o Projeto de Lei 9.950/2018, que dispõe sobre a conservação e o uso sustentável do bioma Pantanal. Assinado pelos deputados Alessandro Molon (PSB-RJ), Enio Verri (PT-PR), Wolney Queiroz (PDT-PE) e Arthur Lira (PP-AL), o documento pede que o PL seja incluído na Ordem do Dia do plenário da Câmara.

De autoria de Molon, o PL foi apresentado em 4 de abril de 2018. Já passou pelas comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CMADS) e de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (CAPADR).

Servidores divulgam relatório de ações do governo Bolsonaro contra o meio ambiente

“Precisamos determinar regras para preservação e uso sustentável do bioma Pantanal, que já perdeu 12% da sua área por queimadas só em 2020. Vamos articular a aprovação desta urgência antes que seja tarde demais e que as perdas no Pantanal durante o governo de Jair Bolsonaro sejam irreversíveis”, disse Molon.

Rindo da desgraça

Enquanto os parlamentares querem urgência na proteção do Pantanal, a destruição é motivo de riso para o presidente Jair Bolsonaro e sua equipe. É o que mostra vídeo vazado de reunião, em que uma menina, uma youtuber mirim de Ribeirão Preto, pergunta se há fogo na região, o que provocou grande gargalhada geral.

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), no último mês de julho o Pantanal registrou 1.684 focos de queimadas. Em igual período do ano passado, foram 494. O recorde para o mês foram 1.259 ocorrências em 2005.


Leia também


Últimas notícias