Você está aqui: Página Inicial / Trabalho / 2017 / 02 / Contra reforma da Previdência, servidores da Justiça do Rio protestam em 'clima de folia'

carnaval mobilizado

Contra reforma da Previdência, servidores da Justiça do Rio protestam em 'clima de folia'

Sindicato da categoria realizou manifestação irreverente para atrair demais trabalhadores e conscientizar sobre ataques às aposentadorias
por Redação RBA publicado 17/02/2017 10h02, última modificação 17/02/2017 15h31
Sindicato da categoria realizou manifestação irreverente para atrair demais trabalhadores e conscientizar sobre ataques às aposentadorias
carnaval protesto

"O carioca é um povo irreverente, mas nem por isso a gente deixa de fazer as nossas lutas"

São Paulo – Em clima de carnaval, servidores da Justiça Federal protestaram ontem (16) no centro do Rio de Janeiro contra a reforma da Previdência do governo Temer. Realizado pelo Sindicato dos Servidores das Justiças Federais no Estado (Sisejufe), a ideia foi tratar o tema com irreverência para atrair a atenção da população e conscientizar sobre os ataques aos direitos.

"É uma causa que afeta a todas as pessoas, não está limitada aos servidores. Principalmente o trabalhador da iniciativa privada vai sofrer muito com isso. Então é importante que a gente traga eles para essa luta", destaca Luciana Pacheco, diretora do Sisejufe, em entrevista à repórter Clara Araujo, para o Seu Jornal, da TVT

Ela também ressaltou o protesto em forma de folia: "Como o carioca é um povo irreverente, mas nem por isso a gente deixa de fazer as nossas lutas, então a gente trouxe esse clima para cá também. Com bom humor, a gente consegue ter mais força e vitalidade para lutar".

Para justificar a proposta de reforma, o governo federal alega que a Previdência registrou rombo de mais R$ 140 bilhões. Ricardo Quiroga, coordenador de imprensa do Sisejufe, diz que não é justo que essa conta recaia sobre o trabalhador. 

"O governo tira verbas da Previdência através da DRU. Existem bilhões de reais sonegados, inclusive pela Rede Globo e outras grandes empresas, por exemplo, que não são cobrados. Agora querem que o trabalhador pague essa conta?", questionou. A Desvinculação das Receitas da União (DRU) é um dispositivo utilizado pelo governo, que retira 30% das receitas para serem utilizadas em outros fins. 

O servidor da Justiça Marcelo Costa Neves é mais um exemplo de como a reforma da Previdência irá prejudicar o trabalhador. Aos 49 anos de idade e com 34 de contribuição, ele está prestes a se aposentar pelas regras atuais, que exige idade mínima de 50 anos e 35 anos de contribuição. Caso a reforma seja aprovada, terá que trabalhar por pelo menos mais 15 anos para poder se aposentar recebendo 100% do benefício.