Você está aqui: Página Inicial / Educação / 2017 / 04 / Professores estaduais de SP confirmam participação na greve geral desta sexta-feira

Amanhã

Professores estaduais de SP confirmam participação na greve geral desta sexta-feira

Docentes protestam contra reformas do governo Temer que retiram direitos dos trabalhadores e por reajusta salarial
por Redação RBA publicado 27/04/2017 09h54
Docentes protestam contra reformas do governo Temer que retiram direitos dos trabalhadores e por reajusta salarial
Roberto Parizotti/Secom CUT
Apeoesp

À tarde, professores estaduais participam de ato contra as reformas do governo Temer no Largo da Batata

São Paulo – Em nota divulgada à imprensa nesta quarta-feira (26), o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) confirma adesão da categoria à greve geral convocada por centrais sindicais e movimentos sociais para esta sexta-feira (28) contra as reformas trabalhista e da Previdência propostas pelo governo de Michel Temer (PMDB-SP). 

"A luta é contra as reformas que retiram direitos da categoria e da classe trabalhadora em geral", afirmam os professores, que acrescentam que, além das pautas gerais nacionais, também lutam por pautas específicas da categoria, já que o governo Alckmin ainda não acenou com qualquer proposta de reajuste salarial. Os docentes estaduais estão há três anos sem alteração salarial. Escolas particulares também aderiram à greve geral, inclusive com apoio de estudantes

Confira a nota na íntegra: 

Professores do estado paralisarão atividades nesta sexta-feira:

Conforme aprovado em assembleia realizada em 31/03 e ratificado pelo Conselho Estadual de Representantes da APEOESP, os professores participarão da Greve Geral convocada pelas centrais sindicais para esta sexta-feira, dia 28. A luta é contra as reformas que retiram direitos da categoria e da classe trabalhadora em geral. Além da reforma da previdência, o governo ilegítimo de Temer também quer aprovar com urgência a reforma trabalhista e a terceirização, assim como implementar a reforma do ensino médio prejudicando ainda mais a qualidade do ensino. Os docentes também estarão na luta em defesa de suas pautas específicas, pois até o momento o governo estadual não acenou com qualquer proposta de reajuste, ou seja, estão há três anos sem alteração salarial. 

De acordo com a proposta aprovada na assembleia, os professores paralisarão suas aulas e participarão das atividades regionais espalhadas por todo o Estado de São Paulo. As subsedes da APEOESP da Capital e da Grande São Paulo deverão organizar ações no período da manhã e à tarde engrossarão o ato público que será realizado às 17 horas no Largo da Batata, seguido de passeata até a residência do presidente ilegítimo Michel Temer.

Abaixo, indicamos algumas das atividades que serão realizadas pela APEOESP em conjunto com outras categorias, movimentos sociais, igrejas, estudantes e centrais sindicais. Mais informações podem ser obtidas nos telefones da assessoria da APEOESP (3350.6057/ 3350.6113/3350.6024)  

Subsedes / Atividades

São Miguel - 10h00 - Ato na Praça do Forró

Lapa - 05h00 - Ato/ panfletagem  Estação de Trem da Água Branca

Cotia - 08h00 - Ato em frente à Prefeitura

Itapevi - 10h00 - Ato no Centro de Itapevi

Mauá - 09h00 - Passeata a partir da Praça da Bíblia

Suzano - 10h00 - Ato com passeata na Praça dos Expedicionários

Araraquara - 08h00 - Panfletagem, ato, caminhada Praça Santa Cruz

Assis - 08h30 - Passeata saindo da Praça da Catedral

Campinas - 10h00 - Ato público no centro da cidade

Jaú - 08h00 - Ato e Panfletagem no Terminal Rodoviário 

Jundiaí - 11h00 - Ato Público no Centro

Limeira - 09h00 - Passeata com ato na Praça Toledo de Barros

Penápolis - 10h00 - Ato na Praça Carlos Sampaio

Pereira Barreto - 08h30 - Ato na Casa de Cultura

Ribeirão Preto - 17h00 - Ato em frente à Rodoviária Central

São José dos Campos - 10h00 - Ato na Praça Afonso Pena