Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2018 / 07 / Preços da cesta básica sobem na maioria das capitais em junho

Produtos essenciais

Preços da cesta básica sobem na maioria das capitais em junho

No mês passado, aumentaram itens como leite integral, carne, feijão, óleo de soja e açúcar. Salário mínimo necessário para um trabalhador e sua família corresponde a quatro vezes o valor oficial
por Redação RBA publicado 05/07/2018 16h09
No mês passado, aumentaram itens como leite integral, carne, feijão, óleo de soja e açúcar. Salário mínimo necessário para um trabalhador e sua família corresponde a quatro vezes o valor oficial
Reprodução
cesta básica

O preço do leite integral aumentou nas 20 capitais pesquisadas, chegando a subir 18% em Curitiba

São Paulo – O custo da cesta básica aumentou, em junho, em 15 das 20 capitais pesquisadas pelo Dieese, com destaque para Cuiabá (7,54%), Recife (5,82%), Curitiba (3,84%), Belém (3,83%) e Porto Alegre (3,45%). Segundo o instituto, houve queda no preço em Campo Grande (-4,51%), Florianópolis (-3,70%), Belo Horizonte (-0,32%), Goiânia (-0,23%) e Rio de Janeiro (-0,10%).

De acordo com o Dieese, que divulgou os resultados nesta quinta-feira (5), a cesta mais cara foi a de Porto Alegre (R$ 452,81), enquanto o menor valor foi apurado em Salvador (R$ 333). Com base na primeira, o salário mínimo necessário para as despesas básicas de um trabalhador e sua família foi calculado em R$ 3.804,06 – 3,99 vezes o valor oficial (R$ 954). Essa proporção foi de 3,93 em maio e de 3,98 há um ano.

No primeiro semestre, o custo da cesta cresceu em todas as capitais, chegando a aumentar 12,90% em Cuiabá e 10% em Curitiba. Em 12 meses, os preços caíram em 13 cidades e subiram em sete.

O tempo médio necessário para adquirir os produtos da cesta básica subiu de maio para junho, atingindo 89 horas e 56 minutos. Um pouco menos que em igual mês do ano passado (90 horas e 43 minutos). Em relação ao salário mínimo líquido, a cesta básica comprometia 44,43% no mês passado, 43,75% em maio e 44,83% um ano atrás.

Entre os produtos que tiveram alta de preço em junho, o Dieese destaca leite integral, carne bovina de primeira, feijão, farinha de trigo, óleo de soja e açúcar. O leite subiu nas 20 capitais pesquisadas (de 2,34% em Belém a 18,01% em Curitib a), a carne em 18 e o feijão, em 16.