Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2009 / 06 / Para ministro, Brasil pode liderar setor automotivo

Para ministro, Brasil pode liderar setor automotivo

GT criado no ABC com trabalhadores, empresas e governo busca fortalecer cadeia produtiva
por Redação publicado 05/06/2009 18h17, última modificação 05/06/2009 18h35
GT criado no ABC com trabalhadores, empresas e governo busca fortalecer cadeia produtiva

Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Sergio Nobre, durante abertura do GT (Foto: Raquel Camargo)

Um Grupo de Trabalho do Setor Automotivo do ABC, instalado nesta sexta-feira (6), em São Bernardo, reunirá representantes dos trabalhadores, governos e empresas para elaborar metas e políticas de ampliação da competitividade da cadeia automobilística no ABC para fortalecer o mercado interno, o consumo e garantir a manutenção do emprego e da renda agora e após a crise.

“Queremos que o Brasil seja um centro de produção automotiva global”, disse o  ministro do Desenvolvimento, Miguel Jorge, durante discurso no evento. Jorge acredita que o Brasil pode sair da crise mais bem posicionado no setor. “A situação que atravessam as montadoras norte-americanas está longe de ser resolvida. Quando ela terminar, o setor automobilístico brasileiro ocupará um lugar de liderança no cenário mundial”, previu o ministro que se comprometer em colaborar com os trabalhos do GT Automotivo do ABC.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Sérgio Nobre, afirmou que discutir o setor econômico mais importante do ABC significa fortalecer a Região e o setor em todo o Brasil. “O objetivo é garantir investimentos e inovações tecnológicas para transformá-los em vantagens ao ABC, com foco na sedimentação do emprego e da renda”, disse. “Saímos de outras crises por meio do diálogo e da negociação. Tenho confiança que construiremos uma nova realidade com ousadia e criatividade”, afirmou Nobre.

O presidente da Anfavea, Jackson Schneider, concordou com Nobre ao comparar a iniciativa do GT à da Câmara Setorial da Indústria Automotiva e à Câmara Regional do ABC, ambas instaladas nos anos 1990. “Vamos participar com plena convicção de que construiremos, pelo diálogo, novas oportunidades”, disse Schneider.

O prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, será o coordenador do GT, que se reúne nos próximos dias para montar a agenda de trabalho. Além da Anfavea, Consórcio de Prefeitos e o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, também participam do grupo o Sindipeças, a Agência de Desenvolvimento do ABC e o Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André.

Convidado para o ato de instituição do GT, o secretário de Desenvolvimento do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, não compareceu ao evento.

O Grupo de Trabalho instalado na quinta-feira (5) é resultado do seminário “O ABC do Diálogo e do Desenvolvimento”, idealizado pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e realizado em conjunto por empresários, trabalhadores e governos, em março passado. O seminário, que colocou à mesma mesa o governador José Serra e a ministra Dilma Rousseff, debateu propostas de enfrentamento à crise econômica internacional, entre elas a criação de GTs.

registrado em: , ,