Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2009 / 05 / Confiança do consumidor na economia avança pelo terceiro mês consecutivo

Confiança do consumidor na economia avança pelo terceiro mês consecutivo

De acordo com o levantamento feito pela Fundação Getulio Vargas, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) teve alta de 1,3%
por Thais Leitão, Agência Brasil publicado 25/05/2009 16h39, última modificação 25/05/2009 18h40
De acordo com o levantamento feito pela Fundação Getulio Vargas, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) teve alta de 1,3%

Rio de Janeiro - O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) avançou para 100,5 pontos em maio, acima dos 99,2 registrados em abril, segundo levantamento divulgado nesta segunda-feira (25) pela Fundação Getulio Vargas (FGV). O indicador, que teve alta de 1,3% na passagem de um mês para o outro, revela o sentimento do consumidor em relação à economia.

A pesquisa, realizada com base numa amostra de mais de 2 mil domicílios em sete capitais, mostra que, embora as avaliações sobre a situação da economia atual ainda estejam distantes do patamar registrado em setembro no ano passado (110,2 pontos), maio é o terceiro mês consecutivo de avanço do índice. De acordo com o documento da FGV, os dados indicam “continuidade da tendência à recuperação gradual da confiança do consumidor brasileiro”.

Este mês, tanto as avaliações sobre a situação presente quanto as expectativas para os próximos meses tornaram-se mais favoráveis. O Índice de Situação Atual (ISA) avançou 1,1%, passando de 97,4 para 98,5 pontos. No caso do Índice de Expectativas, o avanço foi de 1,6%, subindo de 100,7 para 102,3 pontos, o maior patamar desde setembro de 2008 (108,2).

De acordo com o levantamento, entre os quesitos que compõem o ISA, houve melhora da avaliação presente em relação à situação econômica local. A parcela dos consumidores que a avaliaram como boa passou de 7,3% para 7,8%. Já a dos que a consideraram ruim caiu de 52,1% para 49,2%.

Segundo o documento, o quesito que mede as expectativas do consumidor em relação à situação econômica local nos próximos seis meses foi o que mais influenciou a evolução do ICC. Entre os meses de abril e maio, aumentou a proporção de consumidores que preveem melhora (de 26,3% para 28%), enquanto a parcela dos que projetam piora diminuiu, de 23,5% para 20,6%.

O Índice de Confiança do Consumidor é composto por cinco quesitos registrados pela FGV na Sondagem de Expectativas do Consumidor. Para realizar esta análise, foram coletados dados entre os dias 30 de abril e 20 de maio.

Informações da Agência Brasil

registrado em: ,