Protestos

Servidores estaduais da saúde de São Paulo organizam protestos na Assembleia

Eles pressionam pela apresentação de projeto que permita a inclusão do pagamento do prêmio de incentivo ao 13º salário e férias

Sindsaúde
Ocupação saúde

A manifestação começou ontem, com uma ocupação em um dos auditórios da Assembleia

São Paulo – Servidores estaduais da saúde começaram a organizar protestos na Assembleia Legislativa de São Paulo, a fim de pressionar o governo a apresentar projeto de lei que permita a inclusão do pagamento do prêmio de incentivo ao 13º salário e férias. A manifestação começou ontem (15), com uma ocupação no auditório Franco Montoro.

O texto, elaborado no final do ano passado, sofreu alterações e está em análise na Secretária da Saúde. Com o apoio de parlamentares, a categoria pede uma reunião com o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e com o secretário David Uip. Até que isso ocorra, eles pretendem fazer protestos diários.

“Embora tenhamos uma pauta extensa da campanha salarial, isso é o que mais angustia os trabalhadores no momento. Cobramos a intermediação dos parlamentares nesse processo, porque o que precisa é de vontade política para resolver”, diz o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Saúde no Estado de São Paulo (SindSaúde), Gervásio Foganholi.

Na parte econômica, os representantes dos servidores reivindicam aumento de 41,55%, referente a perdas acumuladas desde 2007. No início das negociações, segundo os sindicalistas, Uip “apontou a possibilidade de reajuste de 7%”, mas nenhuma proposta foi formalizada até agora.

Os servidores também cobram transparência com apresentação de tabela completa para pagamento dos valores do prêmio. No dia 21 de março, em reunião com sindicalistas, Uip apresentou uma proposta de reajustes diferenciados. Segundo o sindicato, a medida atenderá a aproximadamente 30 mil servidores, metade da categoria. O pagamento está previsto para ocorrer no dia 25.