Ensino em SP

Grevistas denunciam más condições de trabalho em escolas técnicas

Funcionários do Centro Paula Souza, que administra Etecs e Fatecs do estado de São Paulo, reclamam de falta de equipamentos, de livros didáticos e de estímulo para manter profissionais

etecs.jpg

Professores realizaram um ato em frente à Secretaria Estadual de Gestão Pública de SP, ontem (17)

São Paulo – Professores e funcionários do Centro Paula Souza, órgão que administra as escolas técnicas (Etecs) e faculdades de tecnologia do estado São Paulo (Fatecs), entraram hoje (18) no segundo dia de greve. Eles denunciam a falta de profissionais como consequência dos baixos salários e reivindicam melhores condições de trabalho e plano de carreira para a categoria.

Ontem, os manifestantes fizeram ato público em frente às à Secretaria Estadual de Gestão Pública e foram recebidos pelo secretário de Desenvolvimento, Rodrigo Garcia. Segundo os trabalhadores, o secretário se comprometeu a enviar o plano de carreira para a Assembleia Legislativa até 28 de fevereiro – véspera do fim de semana de carnaval – para aprovação até 5 de abril, data limite para votação.

“Cada vez que vamos discutir com o governo sobre o plano, o assunto fica para o próximo mês. A categoria cansou de esperar. Temos uma perda salarial enorme e esse plano de carreira pode recuperar parte dessa perda, além de reconhecer a graduação e titulação dos docentes e funcionários”, afirma a presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Centro Paula Souza (Sinteps), Silvia Elena de Lima, em entrevista à TVT.

Segundo a entidade, os profissionais não têm plano de saúde nem vale-transporte. Alunos e funcionários apontam a falta de equipamentos, portas quebradas, ventiladores que não funcionam, falta de livros didáticos e reclamam do descaso do governo estadual com as instituições. Algumas, de acordo com as denúncias, estariam infestadas de pombas e ratos.

“A melhor escola do estado não tem quadra, não tem cantina e tem um laboratório para quase 2 mil alunos. Essa é a melhor, imagina as outras”, disse a estudante Júlia Tavares Pereira Costa.

Atualmente existem 221 Etecs e 56 Fatecs, onde estudam 156 mil alunos. As instituições são consideradas referência elo governo de São Paulo. “Quem tiver a oportunidade de visitar as Etecs vai conhecer uma realidade muito diferente daquela que vê na TV”, diz o educador Marcos Lucas Ronchi Mendes.

Segundo informações do Sinteps, cerca de 80 unidades aderiram à paralisação no primeiro dia, o correspondente a 40% dos trabalhadores do Centro Paula Souza.

Assista à reportagem da TVT: