Você está aqui: Página Inicial / Saúde e Ciência / 2018 / 07 / Anvisa encerra consulta pública sobre rotulagem de produtos alimentícios

primeira etapa

Anvisa encerra consulta pública sobre rotulagem de produtos alimentícios

Idec diz que revisão das informações publicas em rótulos é necessária para esclarecer consumidor. Ação pode beneficiar também a educação alimentar
por Redação RBA publicado 11/07/2018 16h56
Idec diz que revisão das informações publicas em rótulos é necessária para esclarecer consumidor. Ação pode beneficiar também a educação alimentar
EBC
mercado.jpg

'Necessidade da Anvisa em revisar as regras atuais (das embalagens) é super urgente', diz Ana Paula, do Idec

São Paulo – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) encerrou, na segunda-feira (9), a primeira etapa de consulta à sociedade sobre advertências nas embalagens dos alimentos sobre presença de sal, açúcar e gorduras saturadas. Para o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) e defensores da alimentação saudável, a revisão das informações nos rótulos das embalagens é necessária, uma vez que as regras atuais de rotulação não são claras.

Além disso, os consumidores de produtos livres de agrotóxicos estão mais exigentes em relação às informações nutricionais nas embalagens dos produtos. Responsável pela regulamentação dos anúncios nos rótulos dos produtos, a Avisa finalizou recentemente um chamamento público para colher sugestões sobre rotulagem nos alimentos.

O engenheiro agrônomo Pedro Kawamura Gonçalves, do Instituto Terra Viva de Agroecologia, destaca que grande parte da população não sabe o que está consumindo. Segundo ele, há muitos conservantes e aromatizantes nos produtos industrializados.

"Na ótica da agroecologia, a gente parte da qualidade dos alimentos. Na minha opinião, por conta da rotulagem apontando a composição dos alimentos industrializados, a gente come muita coisa sem saber e precisamos entender o que significam as quantidades de conservantes, gordura vegetal hidrogenada, açúcar, porque os hábitos alimentares pioraram muito nas últimas décadas por causa disso", explica ele, em entrevista ao repórter Cosmo Silva, da Rádio Brasil Atual.

A pesquisadora Ana Paula Bortoleto, professora da Unicamp e responsável pelo programa Alimentação Saudável do Idec, diz que é necessário a Anvisa revisar as regras atuais de rotulação. Muitas vezes as informações não condizem com a verdade e enganam os consumidores, alerta ela.

"A informação clara nos rótulos é um direito do consumidor. A necessidade de revisar as regras atuais é super urgente, por conta da dificuldade das pessoas em identificar os alimentos mais saudáveis. A forma dos rótulos atuais levam o consumidor ao engano e até prejudicam a visualização das informações", critica.  

Pedro Kawamura ressalta ainda que discutir alimentação saudável vai muito mais além da revisão das regras de rotulagem nas embalagens. Para o ativista, faltam políticas públicas para conscientizar a população sobre a importância de consumir alimentos saudáveis. 

"A educação alimentar é um assunto complexo. Falta política pública para retomarmos um hábito alimentar saudável e isso reflete no número de pessoas que precisam utilizar a saúde pública por conta da má alimentação", afirma ele.

Após esse primeiro chamamento e antes de definir as mensagens nos rótulos, a Anvisa promete abrir nova etapa de consulta para que a sociedade se manifeste acerca dos alertas que devem constar nos rótulos dos produtos alimentícios.

Depois disso, a agência vai redigir um rascunho da resolução sobre as advertências para sal, açúcar e gorduras saturadas nas embalagens dos alimentos.

Ouça a reportagem da Rádio Brasil Atual