Reta final

Ibope em São Paulo: Covas 57%; Boulos 43%, dos votos válidos

Pesquisa Ibope para a prefeitura de São Paulo não registrou alteração no cenário entre os candidatos Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL)

divulgação
Boulos aposta na virada e em repetir bom desempenho do primeiro turno. Covas segue na liderança da corrida eleitoral

São Paulo – Pesquisa Ibope para a prefeitura de São Paulo divulgada hoje (28) mostra o candidato do PSDB, Bruno Covas, com 57% dos votos válidos e Guilherme Boulos (PSOL) com 43%. Os números repetiram o cenário mostrado na última quarta-feira. Nos votos totais, Bruno Covas tem 48% das intenções de voto, contra 37% de Guilherme Boulos.

Na véspera da eleição municipal de São Paulo, o Ibope identificou que os votos brancos e nulos somam 14% e os eleitores que ainda não sabem em quem vão votar são 3%.

Leia também:

Datafolha em São Paulo: Covas tem 55% e Boulos, 45% dos votos válidos

O Ibope ouviu 1.204 eleitores da cidade de São Paulo, entre os dias 27 e 28 de novembro de 2020, e a margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo. O nível de confiança utilizado é de 95%. O que significa que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.

Sem debate

O último debate entre os candidatos, que seria realizado pela TV Globo, acabou cancelado na tarde de ontem, depois que Boulos revelou ter testado positivo para o novo coronavírus. O candidato do PSOL pediu que a emissora considerasse fazer o debate em formato virtual, mas o pedido não foi aceito.

Hoje o candidato do PSDB voltou a negar que haja uma piora na pandemia de covid-19 em São Paulo. Ignorando os dados que mostram aumento de casos e mortes na capital paulista, Covas reafirmou que a situação está estável e não há motivo para preocupação.

No entanto, os dados da própria prefeitura mostram que a cidade vem tendo aumento de mortes. Na semana de 14 a 20 de novembro, a cidade registrou 135 mortes, o maior número em seis semanas. Também tem o maior número de pessoas internadas em UTI e intubadas desde o início de outubro.