luta de classes

‘Culpa das crises no Brasil é das elites’, afirma Juliano Medeiros, presidente do Psol

Jovem presidente do partido, o historiador Juliano Medeiros é o convidado do programa "Entre Vistas", da TVT, que vai ao ar nesta quinta-feira

psol
"As elites fizeram uma opção por depor uma presidenta legitimamente eleita e por emplacar um programa econômico muito nocivo"

São Paulo – O presidente do Psol, Juliano Medeiros, é o convidado do jornalista Juca Kfouri no programa Entre Vistas, da TVT. No comando da legenda desde 2017, o historiador de 36 anos conta que começou a carreira política no movimento estudantil, antes de ingressar no partido. “Cumpri dois mandatos na UNE no Rio Grande do Sul. Saí há 10 anos para trabalhar com a bancada do Psol em Brasília. Trabalhei na liderança do Psol, então.”

Questionado sobre uma suposta responsabilidade da esquerda na ascensão do radicalismo de direita, Juliano discorda. “A culpa é das elites. As elites fizeram uma opção por depor uma presidenta legitimamente eleita para emplacar um programa econômico muito nocivo que criou uma dinâmica recessiva, que jogou milhões de brasileiros e brasileiras no desemprego e na informalidade. A responsabilidade pelas crises política, econômica e social que vivemos no país é das elites brasileiras. Na América Latina como um todo”, afirmou.

O presidente do Psol não se exime de pensar de forma crítica o papel da esquerda. “Há de se pensar o que foi a experiência da esquerda, da centro-esquerda no governo”, afirma, lembrando opções dos governos petistas para o comando de ministérios como os da Agricultura e da Fazenda, que considera contraditórias. “Acharam que poderiam ter um latifundiário no governo, um banqueiro na economia. E, quando fosse necessário, contrariar o sistema”, criticou.


Assista à íntegra do Entre Vistas