Você está aqui: Página Inicial / Política / 2010 / 10 / Em Roraima, 2º turno depende de decisão judicial

Em Roraima, 2º turno depende de decisão judicial

A possibilidade de invalidação dos votos do terceiro colocado daria o governo ao candidato Neudo Campos
por jessicasouza publicado 14/10/2010 11h49, última modificação 14/10/2010 13h30
A possibilidade de invalidação dos votos do terceiro colocado daria o governo ao candidato Neudo Campos

São Paulo - A disputa do segundo turno no estado de Roraima pode não ser mais necessária. Com a indefinição da validade da candidatura de Petrônio Araújo (ex-PHS), o terceiro mais votado entre os candidatos ao governo de Roraima, há a possibilidade de invalidação de seus 14.063 votos recebidos e assim o candidato mais votado, Neudo Campos (PP) terá os votos válidos necessários para assumir o governo do estado.

Petrônio Araújo foi expulso de seu partido "por não cumprir uma determinação da executiva nacional", de acordo com o presidente do PHS, Paulo Roberto Matos. Sem legenda, ele não poderia se candidatar. Porém, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RR) deferiu o pedido de candidatura de Petrônio e o considerou apto a disputar a eleição. O PHS entrou com um recurso contestando a decisão. 

Na quarta-feira (13) o juiz eleitoral Erick Linhares reafirmou o entendimento de que "a expulsão do partido não acarreta inelegibilidade do candidato" porque "as condições de elegibilidade devem ser demonstradas pelo candidato à época do pedido de registro da candidatura".

No primeiro turno o candidato Neudo Campos do PP obteve 47,61% dos votos válidos, enquanto Anchieta (PSDB) recebeu 45,03%. Petrônio teve 6,38% dos votos.