Vira voto

Em Guarulhos, Frente Povo Sem Medo reafirma ‘Ditadura nunca mais’

Entre os manifestantes, evangélicos negaram apoio ao candidato da extrema direita e criticaram proposta de armamento da população. 'Quero dar livro às minhas filhas e não uma arma'

TVT/Reprodução
Ato contra Bolsonaro

Ato ocorreu nesta quarta-feira (24), no centro de Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo

São Paulo – Sob o lema “Ditadura nunca mais”, a Frente Povo Sem Medo, o Movimentos dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), bancários e professores da rede estadual de Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo, realizaram ato no centro do município, nesta quarta-feira (24), contra à intolerância, o ódio e as ameaças à democracia no país, representadas pelo candidato da extrema direita Jair Bolsonaro (PSL).

“Está sinalizado para o país que o Bolsonaro quer ganhar no grito sem uma proposta”, critica a postura do candidato que se negou a participar dos debates eleitorais no segundo turno, pela primeira vez desde a redemocratização, o coordenador do MTST Zelídio Barbosa em entrevista ao repórter Jô Miyagui, do Seu Jornal, da TVT. “O que a gente assiste, hoje, nessa especial campanha eleitoral é um ataque central a um processo democrático”, acrescenta a integrante da Frente Povo Sem Medo Ozani Martiniano de Souza.

Evangélicos que participavam da manifestação também repudiaram o ódio e à violência estimulados pelos discursos do candidato do PSL e discordaram da proposta de desarmamento, uma de suas principais defesas. “Eu quero um futuro para minhas filhas pequenas, eu quero dar um livro para elas e não uma arma”, afirmou a empregada doméstica Elisângela Pereira Martins. “Não tem como a gente colocar o Bolsonaro aí, de jeito nenhum, ele não, ele nunca”.

Assista à íntegra da reportagem: