Projeto de país

CUT/Dieese: Lava Jato cortou empregos, minou a economia e foi cabo eleitoral de Bolsonaro

“O fato de as pessoas estarem pagando 6 reais por um litro de gasolina ou o botijão estar perto de 100 reais tem a ver com a Lava Jato”

Reprodução
Um sem-número de obras paradas pelo Brasil reflete projeto de desenvolvimento interrompido

São Paulo – A Operação Lava Jato, importante por seus princípios, acabou sendo nociva ao país pelos efeitos econômicos e sociais, conforme aponta estudo elaborado pelo Dieese a pedido da CUT. O presidente da central, Sérgio Nobre, acrescenta o viés político, que também causou impacto negativo, cujas consequências são sentidas até hoje.

“A Lava Jato, a pretexto de combater a corrupção, tinha um outro lado. Tinha um claro projeto político e de poder por trás”, afirmou Sérgio Nobre, ao divulgar o estudo, na tarde desta terça-feira (16). “Não podemos esquecer nunca que a Lava Jato foi o principal cabo eleitoral do Bolsonaro.”

Investimento, emprego e PIB

Em resumo, o país perdeu investimento potencial equivalente a R$ 172,2 bilhões (a maior parte da Petrobras), que poderiam levar à criação de 4,44 milhões de empregos. Isso apenas de 2014 a 2017, o período “crucial” da Lava Jato, segundo o diretor técnico do Dieese, Fausto Augusto Junior. Além disso, o estudo aponta perda de 3,6% no PIB. Esse percentual superaria o resultado de 2017 a 2019, somado (no ano passado, o PIB caiu 4,1%).

Um ano atrás, os responsáveis pela Lava Jato informaram que a operação havia propiciado a recuperação de R$ 4 bilhões. Nesse caso, os R$ 172 bilhões não investidos corresponderiam a um valor 43 vezes maior. O procurador Deltan Dellagnol declarou que, no total, foram recuperados R$ 14 bilhões. Ainda assim, o investimento não feito seria 12 vezes maior.

Em grande parte, esse investimento deixou de ser feito pela Petrobras (R$ 104,3 bilhões). O presidente da CUT observou que isso enseja um discurso de que a empresa “quebrou”, usado para tentar “fatiar” para privatizar a estatal. Um “crime contra o Brasil e a classe trabalhadora”, afirmou.

Fausto (Dieese) destaca o impacto sobre o futuro do Brasil. E Sérgio Nobre (CUT) aponta ‘projeto de poder’ por trás do combate à corrupção (Reprodução)

Sem contar os postos de trabalho. Os estimados 4,4 milhões de empregos perdidos equivalem a 60% das ocupações eliminadas em 2020, considerando a Pnad Contínua, do IBGE. A maior fatia das vagas, segundo o estudo do Dieese, se concentra no setor de construção civil: aproximadamente 1,1 milhão. Um segmento diretamente atingido pela Lava Jato, com centenas de obras interrompidas pelo país. Em seguida, vem o comércio (atacado e varejo), com menos 802 mil empregos.

Impostos e massa salarial

Além disso, o país deixou de arrecadar R$ 47,4 bilhões de impostos e R$ 20,3 bilhões em contribuições sobre a folha (recursos para a seguridade social, destacou Fausto). E também reduziu a massa salarial do país em R$ 85,8 bilhões. “Isso era dinheiro para circular na economia”, observou o diretor técnico.

“A Lava Jato teve um impacto gigantesco do ponto de vista do que vai ser o futuro do Brasil”, afirma ainda. Para ele, a partir de 2014, principalmente, foi interrompido um projeto de desenvolvimento nacional, com efeitos econômicos, sociais, políticos e jurídicos. Com mais concentração de renda e perda de soberania. E efeitos, inclusive, em relação à pandemia. Ele acredita que, em outra conjuntura, “no mínimo metade” das vidas perdidas até agora teria sido poupada.

É preciso, salientou Fausto, mostrar para a população as consequências dessa operação no seu dia a dia. “O fato de as pessoas estarem pagando quase 6 reais, ou mais, por um litro de gasolina, ou o botijão estar perto de 100 reais tem a ver com a Lava Jato”, exemplifica.

Essa divulgação será feita em vários níveis, lembrou o presidente da CUT. Cópias do estudo – feito a partir da análise de obras interrompidas, caso a caso – serão levadas aos partidos, aos presidentes da Câmara e do Senado e aos ministros do Supremo Tribunal Federal. Uma cartilha, mais didática, será distribuída nos locais de trabalho,

Uma versão mais completa da análise do Dieese/CUT sobre a Lava Jato e seus impactos será publicada em livro, que está sendo elaborado por um conjunto de pesquisadores. E pretende esmiuçar um “momento sui generis da nossa história”, como diz Fausto. Que levou ao atual “período obscuro”, na definição de Sérgio Nobre.

Confira aqui detalhes do estudo.