Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2017 / 06 / Com queda nos preços dos alimentos, 'prévia' da inflação recua

IPCA-15

Com queda nos preços dos alimentos, 'prévia' da inflação recua

Taxa foi de 0,16% em junho, com variação de 3,52% em 12 meses. Combustíveis caem, passagens aéreas e conta de energia aumentam
por Redação RBA publicado 23/06/2017 09h46
Taxa foi de 0,16% em junho, com variação de 3,52% em 12 meses. Combustíveis caem, passagens aéreas e conta de energia aumentam
Marcelo Camargo/ABr
Inflação junho

Alimentação e Bebidas, que tem peso de 26% na despesa das famílias, variou -0,47% neste mês

São Paulo – Com queda nos preços dos alimentos, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) variou 0,16% em junho, na menor taxa para o mês desde 2006, segundo o IBGE. A "prévia" da inflação oficial fechou o primeiro semestre em 1,62%, ante 4,62% em igual período de 2016 e com o menor índice acumulado para o período desde 1994. Em 12 meses, recuou para 3,52%, o mais baixo nesse intervalo nos últimos 10 anos. Os resultados foram divulgados na manhã desta sexta-feira (23).

O grupo Alimentação e Bebidas, que tem peso de 26% na despesa das famílias, variou -0,47% neste mês, com impacto de -0,12 ponto percentual na taxa de junho. Outro grupo importante, o de Transportes, com peso de 18%, caiu 0,10% e foi responsável por menos 0,02 ponto.  

Os itens comprados para consumo em casa recuaram 0,83%, com retração em todas as regiões, de -0,14% (Goiânia) a -1,92% (Fortaleza). De acordo com o IBGE, os preços da maioria dos produtos ficaram mais baixos de maio para junho, com destaque para tomate (-12,41%), frutas (-7,20%), óleo de soja (-3,85%), pescados (-2,93%) e arroz (-1,70%). Na alimentação fora de casa, a taxa foi de 0,19%, variando de -0,94% (região metropolitana de Salvador) a 1,08% (Curitiba). Em 12 meses, o grupo varia 2,13%.

Em relação aos transportes, o resultado foi influenciado pelos preços dos combustíveis (-0,66%): o etanol variou -2,05% e a gasolina, -0,37%. As tarifas dos ônibus interestaduais caíram 0,95% e as passagens aéreas aumentaram 6,83%. 

A maior variação entre os grupos foi de Habitação, com 0,93% em junho, com influência das contas de energia elétrica: alta de 2,24% e impacto de 0,08 ponto percentual. Também houve pressão de taxas de água e esgoto (1,57%), condomínio (1,14%) e artigos de limpeza (0,84%). 

O IPCA-15 variou de -0,21% (Belo Horizonte) a 0,46% (Recife). Na região metropolitana de São Paulo, ficou em 0,20%. No acumulado em 12 meses, a taxa vai de 2,34% (Goiânia) a 4,87% (Recife).

O IPCA e o INPC deste mês serão divulgados em 7 de julho.