Home -Destaques da home Lula compara Bolsonaro a Nero: ‘Toca fogo no país inteiro. Emprego e crescimento não são com ele’
entrevista

Lula compara Bolsonaro a Nero: ‘Toca fogo no país inteiro. Emprego e crescimento não são com ele’

Em entrevista à revista alemã 'Der Spiegel', ex-presidente criticou o governo Bolsonaro também pela falta de postura de estadista: 'Espero que recupere a razão e mereça o respeito que um presidente deve ter'
Publicado por Helder Lima, da RBA
10:40
Compartilhar:   
der spiegel

"Eles sabiam que eu seria eleito mesmo que concorresse da prisão. O procurador Deltan Dallagnol, que me perseguiu, é uma marionete do Departamento de Justiça dos Estados Unidos"

São Paulo – Depois de sete meses tentando na Justiça, o jornalista Jens Glünsig, da revista alemã Der Spiegel, finalmente entrevistou o ex-presidente no dia 15 de maio, na Superintendência da Política Federal do Paraná, em Curitiba. Lula falou sobre questões do Brasil e do mundo e mostrou que segue com o pensamento de um estadista, coisa que não vê no atual presidente: “Espero que Bolsonaro recupere a razão e mereça o respeito que um presidente deste país deve ter”.

Reconhecido como preso político pela Associação Americana de Juristas, Lula afirmou que sempre soube que ele era o alvo. “Desde que a Lava Jato começou eu estava convencido de que na verdade ela só tinha um alvo: eu. Eu dizia: não é possível que meus opositores vão tirar a Dilma, que era minha sucessora e do PT, para depois deixar que eu fosse eleito presidente. Isso não fechava”.

Lula entende que o golpe não foi contra ele, contra a esquerda ou contra o PT, mas contra o país. “As elites americanas e brasileiras são contra que 75% das royalties fossem investidos na educação, para que o Brasil finalmente superasse um atraso de 200 anos. Com isso, a gente conseguiria financiar pesquisa, tecnologia e o sistema de saúde. Por isso derrubaram a Dilma. Por isso seguiram-se todas as manobras ilegais para impedir que eu fosse candidato. Eles sabiam que eu seria eleito mesmo que concorresse da prisão. O procurador Deltan Dallagnol, que me perseguiu, é uma marionete do Departamento de Justiça dos Estados Unidos”.

Lula fez questão de lembrar que para o ex-juiz Sergio Moro, escolhido como ministro da Justiça de Jair Bolsonaro, foi prometido um cargo no Superior Tribunal Federal, como o próprio Bolsonaro disse publicamente. “Isso prova que foi um jogo arranjado. O Moro, ao impedir minha candidatura, garantiu que Bolssonaro fosse eleito presidente”.

Sobre o atual presidente, Lula afirmou que ele é incapaz para o cargo, mas não deseja que ele seja impedido de terminar o mandato. Lula comparou Bolsonaro a Nero, “quer deixar o país em chamas”. “Espero que Bolsonaro recupere a razão e mereça o respeito que um presidente deste país deve ter”.

O ex-presidente disse que não sabe explicar o apoio dos militares e que um dia ainda quer conversar com alguns comandantes para entender. “Os militares que apoiam Bolsonaro parecem ter esquecido todos os princípios nacionalistas”.

O jornalista alemão lembrou que o Brasil sob os governos Lula viveu um boom de crescimento e otimismo e perguntou: o que aconteceu com seu país? “Não tem mágica em política econômica. Você tem que ter credibilidade para ser respeitado. É por isso que tive o apoio de Gerhard Schröder, Angela Merkel, George W. Bush, Barack Obama, Jacques Chirac, Nicolas Sarkozy, Tony Blair e Gordon Brown.

“O Brasil estava a caminho de se tornar a quinta maior economia do mundo e agora temos esse desastre. Bolsonaro é como o imperador romano Nero: toca fogo no país inteiro. As palavras emprego, crescimento, investimento e desenvolvimento não são com ele. Ele não quer construir, apenas destruir. Nós temos um presidente que bate continência pra bandeira dos EUA. O Brasil não merece isso.”

Link da entrevista em alemão: https://www.spiegel.de/plus/lula-da-silva-bolsonaro-gleicht-nero-er-setzt-das-ganze-land-in-brand-a-00000000-0002-0001-0000-000164076199

* Com informações do Instituto Lula