gestão Doria

Cansada de esperar a prefeitura, comunidade faz mutirão tapa buraco

Em julho a prefeitura de São Paulo reduziu o serviço de tapa buraco em dez prefeituras regionais, inclusive a de Itaquera, onde foi feita a ação

Associação Moradores Helian
helian

Moradores se uniram, fizeram vaquinha para comprar os materiais necessários, e taparam os buracos

São Paulo – Moradores do Jardim Helian, na zona leste da capital paulista, cansaram de esperar a prefeitura regional de Itaquera realizar obras de tapa buraco nas ruas Edmundo Abreu e Guilherme da Cruz e resolveram a situação por conta própria. Organizada pela associação de bairro, a população fez uma vaquinha e comprou cimento, areia, pedras e contou com a experiência de pedreiros da região para fazer o serviço.  Segundo a associação, o último pedido de tapa buraco para estas vias foi feito em 18 de julho deste ano.

Jovens, idosos, mulheres, homens e até cadeirantes participaram do mutirão. A ação foi batizada de Jardim Helian Bairro Lindo Tapa Buraco Popular, alusão ao programa SP Cidade Linda da gestão do prefeito da capital paulista João Doria (PSDB). As ruas são trajetos de ônibus e lotação. Foram tapados sete buracos grandes, que colocavam em risco os moradores do bairro. Os moradores utilizaram cones para delimitar o espaço e trabalharam durante todo o dia.

“A população reagiu contra a inércia do poder público. Isso é falta de vontade política. A cidade só é cidade para quem pode pagar. Aqui tem nada de cidade linda, nada de zeladoria, nada de varrição ou tapa buraco. Tudo propaganda e marketing”, afirmou vendedor Sérgio Lima.

Em julho, a gestão Doria suspendeu ou reduziu o serviço de Tapa Buraco em dez prefeitura regionais, incluindo a de Itaquera, onde fica o Jardim Helian. Guaianases, São Miguel Paulista, Itaquera, São Mateus, Santana/Tucuruvi, Jaçanã/Tremembé, Pirituba e Butantã tiveram o serviço afetado. Segundo dados da prefeitura, foram feitas 75,7 mil solicitações de serviço entre janeiro e junho deste ano. No mesmo período do ano passado foram 54,6 mil, um aumento de 38,6%.

No geral, as prefeituras regionais têm um contingenciamento entre 15% e 25% do total do orçamento. Até o fechamento desta reportagem, a Secretaria Municipal de Prefeituras Regionais não retornou os contatos.