Diário do Bolso

Fogo nesses livros aí, talkey!

Diário, eu estava olhando aqui a lista dos livros que o governo de Rondônia mandou recolher das escolas e acho que tem que botar fogo nessas porcarias mesmo

Alan Levine/Wikimedia Commons
"Estão chiando por causa de um livro chamado 'Macunaíma'. Mas sabem qual é o título completo do livro? 'Macunaíma – o herói sem nenhum caráter'. Pô, se não tem caráter, não pode!"

Diário, eu estava olhando aqui a lista dos livros que o governo de Rondônia mandou recolher das escolas e acho que tem que botar fogo nessas porcarias mesmo.

Por exemplo:

O melhor de Caio Fernando Abreu. Esse sujeito não morreu de Aids? Pô, é que nem eu disse esses dias: aidético dá despesa pro país”. E mesmo assim as crianças têm que ler livro dele? Não pode!

– Estão chiando por causa de um livro chamado Macunaíma. Mas sabem qual é o título completo do livro? Macunaíma – o herói sem nenhum caráter. Pô, se não tem caráter, não pode! Manda ler o livro do Ustra. Esse sim!

O Castelo é do Franz Kakka. Todo mundo sabe que o Weintraub não sabe falar o nome desse cara. Vai constranger o ministro por quê? É sabotagem, não pode!

– Outro que foi proibido pelo governo do meu amigo Coronel Marcos Rocha (hoje no PSL, mas que vai pro meu partido) é um livro chamado O harém das bananeiras, de um tal de Carlos Heitor Cony. Pô, com esse título só pode ser sobre uma boate cheia de “trans”. E todo mundo sabe que “trans”, pra mim, só transgênico. Joga fora esse livro!

– O Mar de histórias é de um tal de Aurélio Buarque de Holanda. Deve ser irmão daquele cantor. Pô, dá os livros dele lá pras crianças maconheiras da Holanda (que, segundo a Damares, são masturbadas pelos pais).

– Me disseram que Memórias Póstumas de Brás Cubas é um livro escrito por um morto. Morto não escreve. Então é fake news! Aí não pode. Opa! Quer dizer, no zap pode.

– E esse Beijo no asfalto? Nojeira pura! O cara vai beijar o chão? Não dá! Vamos ter mais higiene nesse país, talkei?

Calibre 22, de um tal de Rubem Fonseca, deve ser livro de mulherzinha. Calibre tem que ser de 38 pra cima! Menos que isso, não pode!

– Pra encerrar, esse Mil e uma noites deve ser sobre orgia. Então não pode! Aliás, segundo a Damares, nem sexo pode mais. O pior, Diário, é que eu nem me importo com esse negócio de abstinência. Depois que eu virei presidente, fiquei intrepável. Não tenho mais tempo pra nada. Vou até te confessar uma coisa: faz tanto tempo que eu não faço sexo, que de vez em quando eu corro de chinelo havaiana pela sala só pra me lembrar do som.

Enfim, fogo nesses livros aí!

No Facebook: @diariodobolso