Rumo ao Brasil

No retorno de Diego Costa, Espanha vence último amistoso antes da Copa

Centroavante foi bem, sofreu pênalti, mas viu David Villa marcar os gols da vitória por 2 a 0 contra El Salvador. Placar foi o mesmo do triunfo da Argentina sobre a Eslovênia, com direito a gol de Messi

Shawn Thew/EFE
David Villa

O atacante David Villa veio do banco para trazer um pouco de objetividade à Espanha

A Espanha venceu a seleção de El Salvador por 2 a 0 na tarde deste sábado, em amistoso disputado nos Estados Unidos. O atacante David Villa entrou no segundo tempo e fez os dois gols espanhóis, mas pode-se dizer que o destaque da partida mais uma vez foi o estilo de jogo de La Roja, que mostrou sua força e seus problemas.

Os europeus não tiveram dificuldades em impor seu jogo contra o frágil time salvadorenho, que não chegou sequer ao hexagonal final das eliminatórias da Concacaf para a Copa. A combinação de marcação pressão com um toque de bola estilo “roda de bobinho” praticamente impediram os centro-americanos de dominar a bola, quanto mais de levá-la até o campo de ataque. Ponto para o tiki-taka. Por outro lado, os espanhóis tinham a bola, rodavam com ela, mas chances claras de marcar foram poucas.

Isso dificultou a vida do brasileiro naturalizado Diego Costa. Voltando de contusão, ainda sem ritmo, o avante do Atlético de Madrid se movimentou, mas teve poucas chances de guardar. Num de seus melhores momentos, o atacante recebeu lançamento aos 3 minutos e foi derrubado na área. Fábregas cobrou o pênalti, mas desperdiçou.

Depois disso, poucas bolas chegaram ao centroavante. Seu colega de ataque, o barcelonista Pedro, não ajudou muito: aberto na direita, abusou dos erros e deixou o camisa 19 isolado.

No segundo tempo, Vicente del Bosque trocou de baciada e corrigiu esse equívoco: saíram Iniesta, Fábregas e Pedro para entrarem Cazorla e os Davids Silva e Villa. No meio campo, pouca diferença – o que mostra o poderio espanhol nesse setor. No ataque, Villa jogou mais centralizado, próximo de Diego Costa, o que deu mais contundência ao time.

O primeiro gol quase foi para o brasileiro: Sérgio Ramos escorou uma bola cruzada na área e ela se dirigiu na medida para um voleio de direita de Diego, mas Villa se antecipou de cabeça e “roubou” o tento do colega. No segundo gol, Villa recebeu passe longo, matou no peito e fez de direita.

A Espanha ainda teve uma boa chance com chute de fora da área de Busquets, que entrou no lugar de Xabi Alonso – recurso que, inexplicavelmente, o time usa pouco. Mas ficou por isso, mais uma vitória sem sustos, com controle quase total das ações (os 72% de posse de bola falam por si) e pouca objetividade para matar a partida.

Os espanhóis agora se preparam para desembarcar em Curitiba, na segunda-feira, onde ficarão concentrados durante a Copa no CT do Atlético-PR. A estreia na Copa será no dia 13 de junho, em Salvador, de cara uma dura revanche da final de 2010, contra a Holanda.

Ataque argentino

A Argentina também jogou neste sábado seu último amistoso preparatório, em La Plata, e derrotou a Eslovênia por 2 a 0 sem maiores problemas. O técnico Alejandro Sabella optou por testar alguns jogadores reservas de seu ataque, deixando Messi e Di Maria no banco.

E não se arrependeu: o meia Ricky Alvárez, da Inter de Milão, roubou a bola no ataque e marcou ainda no primeiro tempo, ajudando a relaxar a torcida portenha que se despedia da equipe.

O segundo tempo foi marcado pelo retorno de Kun Aguero aos campos depois de um período afastado por lesão. Junto com ele, entraram Messi e Di Maria, e os três protagonizaram o segundo gol do jogo. O meia do Real Madrid deu um bonito passe de cavadinha para a área, Aguero ajeitou de cabeça e Messi marcou.

A Argentina estreia na Copa do Mundo no dia 15, contra a Bósnia, no Maracanã. O time deverá viajar para o Brasil na próxima segunda.