Home Ambiente Gisele Bündchen responde a ministra do Meio Ambiente: ‘Recursos naturais são finitos’
Veneno

Gisele Bündchen responde a ministra do Meio Ambiente: ‘Recursos naturais são finitos’

Tereza Cristina reclamava de 'maus brasileiros' que passariam imagem errada do país no exterior. 'Produção agropecuária e conservação ambiental precisam andar juntas', diz modelo
Publicado por Redação RBA
19:13
Compartilhar:   
Reprodução/Vimeo
Gisele Bündchen

Gisele Bündchen: ‘Tão importante para nosso país, agricultura também depende das condições climáticas adequadas’

São Paulo – A modelo Gisele Bündchen divulgou hoje (16), em nota em redes sociais, uma resposta à ministra do Meio Ambiente, Tereza Cristina, que em entrevista havia declarado que a top não deveria “meter o pau no Brasil sem conhecimento de causa”. Antes, havia falado em “maus brasileiros” que, segundo a ministra, levam ao exterior uma imagem errada do país e do setor produtivo. Gisele não fez críticas ao atual governo, mas se manifestou em outras ocasiões.

“Causou-me surpresa ver meu nome mencionado de forma negativa por defender e me manifestar em favor do meio ambiente, pois desde 2006 venho apoiando projetos e me envolvendo com causas socioambientais, o que sempre fiz com muita responsabilidade”, afirmou Gisele, lembrando que sempre está “buscando conhecimento” por meio de leituras e contatos com cientistas, pesquisadores, agricultores e organizações. “Acredito que a produção agropecuária e a conservação ambiental precisam andar juntas, lado a lado.”

Ainda segundo a modelo, o desenvolvimento, prosperidade e bem-estar do país dependem desse equilíbrio. E a agricultura, “tão importante para nosso país, também depende das condições climáticas adequadas para seu crescimento”.

“Precisamos lembrar que os recursos naturais são finitos e as florestas têm papel fundamental no equilíbrio do clima na terra e, consequentemente, em nossas vidas. Preservar a natureza, portanto, significa preservar a vida”, acrescentou Gisele. 

Para ela, o Brasil “tem tudo para liderar o movimento em prol de um desenvolvimento mais sustentável”, suprindo as necessidades da geração atual sem comprometer as próximas. “Torço para poder divulgar ações positivas neste sentido”, completou.