Você está aqui: Página Inicial / Saúde e Ciência / 2017 / 05 / Depois de tentar acabar com farmácias, Doria agora quer fechar maternidade

Desmonte

Depois de tentar acabar com farmácias, Doria agora quer fechar maternidade

Tucano quer transformar maternidade do hospital José Storopolli, na Vila Maria, em unidade do polêmico "Corujão". Medida é repudiada por delegados da 2ª Conferência Municipal de Saúde da Mulher
por Cida de Oliveira, da RBA publicado 02/05/2017 19h05, última modificação 02/05/2017 19h24
Tucano quer transformar maternidade do hospital José Storopolli, na Vila Maria, em unidade do polêmico "Corujão". Medida é repudiada por delegados da 2ª Conferência Municipal de Saúde da Mulher
Arquivo/Prefeitura de São Paulo
hospital da vila maria.jpg

Maternidade do Hospital "Vermelhinho" realiza mais de 200 partos por mês

São Paulo – Depois da tentativa frustrada de extinguir as farmácias das unidades básicas de saúde (UBS), que causou forte reação da população e de trabalhadores, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), pretende desativar os leitos da maternidade do Hospital Municipal Vereador José Storopolli, mais conhecido como Vermelhinho, na Vila Maria, zona norte. Segundo denúncia levada aos delegados da 2ª Conferência Municipal de Saúde das Mulheres (CMSMu), encerrada neste domingo (30), a ideia é transformar a maternidade, que realiza mais de 200 partos por mês, em unidade do polêmico programa Corujão.

Os delegados aprovaram duas moções de repúdio contra a desativação e exigem a continuidade do atendimento e melhorias no acolhimento às gestantes e recém-nascidos, bem como a implementação do parto humanizado na unidade.

De acordo com  vereadora Juliana Cardoso (PT), que recebeu a denúncia e a levou para a conferência, as mulheres não terão outra maternidade de referência. "A maternidade do Hospital Tatuapé e do Hospital Santo Antonio, na Penha, que são os mais próximos, já estão sobrecarregados. Com isso as mulheres, já vulneráveis, terão de peregrinar até conseguir uma vaga", disse. 

Conforme fontes, a direção do hospital já foi comunicada da mudança pela Secretaria Municipal da Saúde. No entanto, ainda não foi divulgada data.

Integrante da Comissão de Saúde, Promoção Social, Trabalho e Mulher da Câmara dos Vereadores, Juliana vai protocolar requerimento para que tanto a direção do hospital como o secretário da Saúde, Wilson Pollara, compareçam à reunião da comissão para esclarecimentos sobre o projeto.

A Secretaria de Saúde informou não haver, até o momento, nenhuma definição sobre a desativação da maternidade. E que diretrizes da nova fase do programa Corujão, que vai incluir cirurgias eletivas, deverão ser anunciadas no final deste mês.

No entanto, a pasta admite mudanças no "Vermelhinho". Caso o hospital venha a ser incluído no Corujão, algumas atividades poderão vir a ser paralisadas temporariamente, enquanto durar esta nova etapa do programa. Nesse caso, a população, segundo a prefeitura, será avisada e orientada com antecedência.