Você está aqui: Página Inicial / Política / 2010 / 08 / Serra volta a atacar Dilma por violação de dados da Receita

Serra volta a atacar Dilma por violação de dados da Receita

PT informa que vai à Justiça por calúnia e difamação, apontando que tucano não tem como provar conexão entre a candidata e o episódio
por João Peres, da RBA publicado , última modificação 26/08/2010 19h05
PT informa que vai à Justiça por calúnia e difamação, apontando que tucano não tem como provar conexão entre a candidata e o episódio

São Paulo - O candidato à Presidência pelo PSDB, José Serra, voltou a afirmar nesta quinta-feira (26) que sua adversária, a petista Dilma Rousseff, deve explicar os casos de violação de dados fiscais de tucanos. O ex-governador de São Paulo atribuiu novamente ao PT a pecha de partido envolvido em investigações ilegais, citando o caso dos “aloprados” de 2006, comandados, segundo ele, pelo senador Aloizio Mercadante – candidato ao governo de São Paulo.

Segundo reportagens de O Estado de S.Paulo, o sigilo de quatro integrantes do PSDB na Receita Federal foram quebrados supostamente para serem fornecidos à campanha da candidata governista. Nesta quinta-feira (26), a notícia é de que, além de Eduardo Jorge Caldas Pereira, vice-presidente do PSDB, também teriam tido dados violados o ex-ministro Luiz Carlos Mendonça de Barros, o ex-diretor do Banco do Brasil Ricardo Sérgio de Oliveira e Gregorio Marin Preciado, que é casado com uma prima de Serra.

Após evento em São Paulo, o tucano havia dado por encerrada a entrevista coletiva quando foi alertado por seus assessores de que deveria falar sobre a violação de sigilo. Serra deu meia-volta, posicionou-se no local destinado à conversa com jornalistas e disparou: "Eu creio também, e repito aqui, que a candidata beneficiada – porque se fez para ajudar a candidatura dela – é a Dilma Rousseff, e (ela) tem de dar explicações ao Brasil do que é que aconteceu."

Serra também criticou o que chamou de baixaria na eleição. "Há uma permanente guerra de baixaria. Pelo nosso lado, eu desafio alguém a encontrar uma vírgula, um fio de cabelo que tenha sido arrancado de qualquer adversário em campanha eleitoral", desafiou.

PSDB, DEM e PPS prometem apresentar ação na Justiça eleitoral contra Dilma Rousseff, que tem agora 20 pontos de vantagem nas intenções de votos, de acordo com o Datafolha. O deputado federal Raul Jungmann (PPS-PE) pretende se reunir com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Cezar Peluso, para pedir que o caso seja avaliado rapidamente. "Se trata de mostrar esses vínculos e responsabilizá-la (Dilma) por crime eleitoral", projeta.

Disputa judicial

O PT, do outro lado, informou que vai entrar na Justiça contra José Serra por atribuir a Dilma Rousseff a responsabilidade sobre a quebra do sigilo fiscal. O presidente do partido, Eduardo Dutra, informou que vai processar o tucano por injúria e difamação.

"Não há nenhum elemento fático que dê sustentação a essa acusação irresponsável", disse. "Nós não aceitamos a continuidade dessas ilações." O PT vai apresentar uma solicitação à Polícia Federal para que apure se de fato houve quebra ilegal de sigilo.

registrado em: , ,