Você está aqui: Página Inicial / Política / 2009 / 05 / Com CPI, Chinaglia acredita em "revés duro" para a oposição

Com CPI, Chinaglia acredita em "revés duro" para a oposição

O ex-presidente da Câmara dos Deputados vincula possível processo movido por acionistas da Petrobras contra partidos da oposição caso a CPI gere prejuízos. Ele acusa ainda a gestão tucana
por anselmomassad publicado , última modificação 22/05/2009 17h38
O ex-presidente da Câmara dos Deputados vincula possível processo movido por acionistas da Petrobras contra partidos da oposição caso a CPI gere prejuízos. Ele acusa ainda a gestão tucana

Chinaglia: "Aquele dinheiro não vai para o bolso de ninguém, não vai para empresa nenhuma, como foi na época dos tucanos e dos democratas" (Foto: José Cruz/ABr)

O deputado federal Arlindo Chinaglia criticou, em entrevista a Rodrigo Rodrigues do Jornal Brasil Atual o comportamento da oposição ao tentar transformar a "variante contábil" praticada pela Petrobras com corrupção. Senadores de oposição buscam criar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a estatal a partir da notícia de que a empresa teria efetuado um procedimento contábil para reter recursos devidos de imposto. A Petrobras e o governo sustentam que a operação visava a manter investimentos na exploração de petróleo.

"A Petrobras fez uma variante contábil para investir", defendeu o ex-presidente da Câmara dos Deputados. "Aquele dinheiro não vai para o bolso de ninguém, não vai para empresa nenhuma, como foi na época dos tucanos e dos democratas", acusou.

Para ele, os mentores da CPI podem sofrer um "revés duro" caso as ações da comissão gerem prejuízos, como a desvalorização de ações decorrente de noticiário negativo. Nesse caso, sustenta Chinaglia, acionistas da Petrobras estariam decididos a processar os partidos de oposição.

 

registrado em: , ,