Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2017 / 01 / Entidades barram aumento da velocidade nas marginais de São Paulo na Justiça

Vida e trânsito

Entidades barram aumento da velocidade nas marginais de São Paulo na Justiça

Estudos e dados apontam impactos positivos com redução, mas gestão Doria demonstra teimosia e deve manter aumento. Para juiz, decisão seria retrocesso em medida recomendada pela OMS
por Redação RBA publicado 20/01/2017 13h03, última modificação 20/01/2017 20h35
Estudos e dados apontam impactos positivos com redução, mas gestão Doria demonstra teimosia e deve manter aumento. Para juiz, decisão seria retrocesso em medida recomendada pela OMS
zanone fraissal/Folhapres
marginal

Estudos e dados apontam impactos positivos com redução; Justica concordou

São Paulo – Junto a outras entidades da sociedade civil, a Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo (Ciclocidade) entrou ontem (19) na Justiça com ação cautelar que pede a suspensão do aumento do limite de velocidade nas marginais Tietê e Pinheiros, em São Paulo. A mudança, defendida e anunciada pelo prefeito João Doria (PSDB), deve ocorrer a partir da próxima quarta-feira, no dia do aniversário da capital.

A Justiça de São Paulo acatou nesta sexta-feira (20) o pleito das entidades e determinou, por meio de liminar (decisão provisória até julgamento do mérito) a proibição do aumento da velocidade nas marginais, por considerar a medida um retrocesso social. A informação foi divulgada pelo site Diário do Transporte.

O Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), a Ciclocidade, e mais 16 organizações apresentaram relatório ao Ministério Público de São Paulo (MP-SP), com dados e argumentos em defesa da manutenção da redução. Também ontem, em reunião do Conselho Municipal de Transporte e Trânsito, (19) a Ciclocidade afirmou que a gestão Dória não tem dados e estudos para embasar o aumento dos limites. 

"Questionamos ontem formalmente, apontando diversos exemplo internacionais para  mostrando que está errada essa decisão, além de estudos de impactos positivos relativos à redução", afirma Rafael Calabria, pesquisador em mobilidade urbana do Idec, em entrevista à Rádio Brasil Atual na manhã de hoje (20). Segundo ele, a gestão Doria "está bem teimosa e decidida" quanto ao aumento anunciado.

Para veículos leves, a partir do dia 25 de janeiro, a velocidade máxima permitida na pista expressa de ambas as marginais passará de 70 km/h para 90 km/h e a pista central da marginal Tietê aumenta de 60 km/h para 70 km/h. Já a pista local terá duas velocidades distintas: a faixa mais à direita permanece com o limite de 50 km/h, enquanto as outras aumentam para 60 km/h. Para os veículos pesados, a velocidade máxima será de 50 km/h em toda a pista local e 60 km/h nas pistas central e expressa.

Rafael chama a atenção para o óbvio: "É uma questão até física. Com maior velocidade, o impacto em um acidente é maior, o espaço de frenagem também é maior, o tempo de reação é menor. É mais difícil evitar acidentes."

Prevendo o aumento de acidentes, Dória anunciou a utilização de quatro ambulâncias que atuarão exclusivamente nas marginais, também a partir de quarta-feira (25), para socorrer os feridos. 

Segundo ele, estudos também indicam que as marginais não têm as "características perfeitas" de uma via expressa, que justifique a elevação dos limites de velocidade, devido acessos e a sinuosidade das vias que acompanham as margens dos rios. "É uma via urbana, com muitas saídas e entradas." 

Ouça: