Direção

Eleições movimentam bases dos bancários de São Paulo e metalúrgicos do ABC

Dois dos maiores sindicatos do país reúnem mais de 200 mil trabalhadores na base. E estão na raiz da criação da CUT, quase 40 anos atrás

Sind. Bancários SP/Adonis Guerra-SMABC
Sind. Bancários SP/Adonis Guerra-SMABC
Neiva e Moisés: bancários de São Paulo e metalúrgicos do ABC escolhem diretorias

São Paulo – Começam nesta terça-feira (25) as eleições em dois dos maiores sindicatos do país, dos Bancários de São Paulo e dos Metalúrgicos do ABC, que somam mais de 200 mil trabalhadores na base. São entidades que estão também na origem da criação da CUT, que em agosto completará 40 anos. Nos dois casos, apenas uma chapa concorre, para um mandato de três anos.

A eleição no agora centenário Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região começa às 7h de hoje e vai até as 16h de quinta-feira (27). Será virtual, por meio de aplicativo. O associado pode votar via celular, notebook, tablet ou computador. Quem não tiver acesso à internet poderá utilizar terminais em três locais, na sede (rua São Bento, 413) e nos regionais Paulista (rua Carlos Sampaio, 305) e Osasco (Rua Presidente Castelo Branco, 150, centro) da entidade. A base é formada por aproximadamente 140 mil trabalhadores.

Eleições nos bancários ampliam representação feminina

Pela terceira vez seguida, a chapa bancária terá uma mulher como candidata à presidência. Desta vez, Neiva Ribeiro, atual secretária-geral e funcionária do Bradesco. Formada em Letras e com pós-graduação em Gestão Pública e Universitária, ela integra o Comitê Mundial de Mulheres da UNI Global Union (sindicato que representa o setor de serviços em vários países) e é vice da UNI América Mulheres.

Votação em dois turnos

Já o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC tem Moisés Selerges como candidato à reeleição. Nascido em São Caetano do Sul, ele é formado em Ajustagem Mecânica pelo Senai. Está na Mercedes-Benz, em São Bernardo, desde 1985. Entrou na comissão de fábrica em 1989, e tornou-se coordenador em 2002. No sindicato, entre outras funções, foi secretário-geral. Está na presidência desde janeiro do ano passado.

Os metalúrgicos, por sua vez, fazem a eleição em dois turnos. Em março, foram escolhidos 162 representantes dos 45 comitês sindicais. Hoje e amanhã, a categoria vota na chapa para presidente e conselhos da Executiva e Fiscal. Com 70 mil trabalhadores (60% com direito a voto), a base inclui os municípios de São Bernardo, Diadema, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.


Leia também


Últimas notícias