Você está aqui: Página Inicial / Trabalho / 2013 / 01 / Desemprego fica estável em 2012, aponta pesquisa Seade/Dieese

Desemprego fica estável em 2012, aponta pesquisa Seade/Dieese

Número de pessoas ocupadas cresce e de carteira assinada também; rendimento do trabalhador tem alta de 2,6%
por Vitor Nuzzi, da RBA publicado , última modificação 30/01/2013 16h09
Número de pessoas ocupadas cresce e de carteira assinada também; rendimento do trabalhador tem alta de 2,6%

O total de pessoas ocupadas cresceu 2%, inserindo 384 mil pessoas no mercado de trabalho, em relação a 2011 (Foto: Arquivo/CC/Seasdh/RJ)

São Paulo – A taxa média de desemprego calculada pela pesquisa Seade/Dieese em sete áreas (seis regiões metropolitanas e o Distrito Federal) foi de 10,5% em 2012, apresentando estabilidade em relação a 2011, que teve índice de 10,4%. Em São Paulo, onde a série histórica se inicia em 1985, a taxa subiu de 10,5% em 2011 para 10,9%.

No ano passado, o número médio de desempregados foi estimado em 2,329 milhões, 65 mil a mais do que em 2011. O total de pessoas ocupadas (19,797 milhões) cresceu 2%, o correspondente a um acréscimo de 384 mil pessoas no mercado de trabalho. Foram abertos 390 novos mil empregos com carteira assinada, alta de 4,1%.

O rendimento médio dos ocupados foi estimado em R$ 1.543, crescimento de 2,6% sobre 2011. A massa de rendimentos aumentou 4%.

Amanhã (31), o IBGE divulga os resultados de sua pesquisa, referentes a dezembro e a 2012. Apesar de não ser comparável à do Dieese e da Fundação Seade – os levantamentos têm metodologia e universos diferentes – deverá apontar tendência semelhante, de redução ou estabilidade do desemprego.