Você está aqui: Página Inicial / Saúde e Ciência / 2017 / 07 / Ação de 'limpeza' mal executada na Sé repercute no fluxo da Cracolândia

Efeito borboleta

Ação de 'limpeza' mal executada na Sé repercute no fluxo da Cracolândia

Ao saber dos incidentes na Praça da Sé, centenas de usuários de crack temem ser alvos de alguma ação repressiva e se deslocam pelas ruas da região central
por Luciano Velleda, para a RBA publicado 19/07/2017 19h39, última modificação 20/07/2017 08h58
Ao saber dos incidentes na Praça da Sé, centenas de usuários de crack temem ser alvos de alguma ação repressiva e se deslocam pelas ruas da região central
Allan White/Fotos Públicas
Crack_Princesa_Isabel

Comerciantes nos arredores da Praça Princesa Isabel foram surpreendidos com o retorno do fluxo para o local

São Paulo – A desastrada ação de limpeza realizada nesta quarta-feira (19) pela prefeitura de São Paulo, na Praça da Sé, repercutiu em outra área sensível do centro da cidade: a região denominada de Cracolândia. Ainda pela manhã, ao saberem do que acontecia na Sé – com moradores de rua sendo molhados e tendo seus pertences recolhidos – os usuários de crack saíram de frente da estação Júlio Prestes e rumaram para a Praça Princesa Isabel, a três quadras de distância.

A reocupação da praça por centenas de usuários de crack causou apreensão aos comerciantes da região, ressabiados devido a movimentação semelhante ocorrida recentemente após outra ação desastrada da Prefeitura e do Governo do Estado no “fluxo”. Na ocasião, a ação da polícia espalhou os usuários por diversas ruas da região e o “fluxo” se agrupou na Praça Princesa Isabel.

Um guarda civil metropolitano que pediu anonimato, confirmou que a movimentação foi reflexo do que havia acontecido na Sé pela manhã desta quarta. Em conversa com o aflito comerciante de uma padaria localizada bem diante da Praça Princesa Isabel, o guarda afirmou que os usuários iriam retornar logo mais para a esquina da Rua Helvétia com a Alameda Cleveland.   

E assim foi. Centenas de usuários permaneceram por ali até o meio da tarde, quando então começaram, por iniciativa própria, a percorrer o caminho de volta. Devido ao grande número de pessoas que faziam a movimentação, a Guarda Civil Metropolitana chegou a “escoltar” os usuários no momento em que centenas deles cruzavam a Avenida Rio Branco.

Pouco tempo depois, a rua em frente à estação Júlio Prestes já estava novamente repleta de usuários e com o fluxo estabelecido. Como um verdadeiro efeito colateral, a mal executada "ação de limpeza" na Praça da Sé deslocou o fluxo da Cracolândia e tensionou um território complexo e já repleto de conflitos.