Triste recorde

Brasil tem dia com mais mortos por covid-19, 1.841, e chega a mais de 200 mil vítimas

Números revelados pelo Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass) revelam novos recordes. Mortes: 1.841. Casos: 94.517

SecomAM/Divulgação
Enquanto casos de covid e mortes não recuam, Conselho Nacional de Saúde, lamenta comemorações e aglomerações de Bolsonaro

São Paulo – Hoje (7) foi o dia com mais mortes por covid-19 no Brasil desde o início do surto, em março, superando as 200 mil. De acordo com o Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), foram registradas 1.841 vítimas em 24 horas. Com o acréscimo, o país chegou a 200.498 mortos pela pandemia do novo coronavírus.

Dados de hoje (7) da covid-19 no Brasil. Fonte: Conass

O número de novos casos também teve a maior escalada desde o início da epidemia. Foram 94.517 novos infectados, somando 7.961.673. Com os números desta quinta-feira, a média móvel de casos e mortes teve flta. Levando em conta cinco dias, a média de mortes chegou a 793, diante de 683 ontem. Os casos foram de 35.422 para 40.814. As médias são importantes para avaliar o crescimento da pandemia.

Aglomerações mortais

A elevação nos números tem relação com as aglomerações observadas ao longo do mês de dezembro. Os números tendem a piorar, de acordo com especialistas, já que as medidas de isolamento social foram deixadas de lado em praias lotadas, festas e grandes eventos. As próximas duas semanas devem apresentar números que superam o pico, até então registrado entre maio e agosto.

A covid-19 é a doença que mais matou em um ano na história do Brasil, superando cânceres e males cardiovasculares. E os números ainda são, seguramente, menores do que a realidade. A subnotificação é um fato reconhecido por autoridades e denunciado por cientistas. O Brasil é o segundo país em número de mortes no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. Entretanto, testa pouco e mal; é um dos países com menor capacidade de testagem no mundo democrático.

Curvas epidemiológicas médias de casos e mortes no Brasil. Fonte: Conass

Covid-19 e caos no Brasil

Enquanto cidades observam o colapso no sistema de Saúde, como Manaus, as medidas de isolamento social seguem brandas e insuficientes. Belo Horizonte tomou a dianteira ao decretar o fechamento do comércio não essencial. Entretanto, o estado com maior número de vítimas, São Paulo, segue sem obrigatoriedade efetiva de distanciamento social.

São Paulo tem 1.515.158 infectados e 47.768 mortos. Os leitos de UTI seguem com ocupação crescente. Desde o início do ano, houve aumento de mais de 5% na ocupação. O estado tem 65,3% de leitos ocupados e a Grande São Paulo, 65,5%. Hoje foi o dia com maior número de doentes no estado, com mais de 15 mil infectados.

A realidade da covid-19 também se abate sobre outros países. A Europa segue com medidas intensas de isolamento social. Reino Unido, Países Baixos e Alemanha intensificam as restrições, mesmo com processo de vacinação em curso. Nos Estados Unidos, hoje foi o dia com maior número de mortos, 3.865. Os norte-americanos já observam falta de leitos em grandes cidades, como Los Angeles e Sacramento, na California.


Leia também


Últimas notícias