balanço

A ‘um dia’ de 1 milhão de casos, Brasil registra mais 1.238 mortes pela covid-19 em 24 horas

País mantém registro de mais de mil mortes por dia pelo novo coronavírus. Doença agora segue tendência de interiorização

Prefeitura de Manaus
Em 24 horas, foram 22.765 novos casos, em um total de 978.142

São Paulo –  O Brasil está a cerca de 12 horas de ultrapassar um milhão de casos oficiais de covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, segundo o boletim desta quinta-feira (18), divulgado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde, o Conass. De acordo com o relatório, nas últimas 24 horas foram notificados 22.765 novos casos. Assim, o país soma um total de 978.142 pessoas infectadas pelo vírus. O número de mortes teve mais um dia acima da casa do milhar, com 1.238 novas vítimas, em um total de 47.748.

(Conass/Reprodução)

A curva epidemiológica do vírus tende, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, a chegar a um ritmo de estabilidade no país, mas com números perigosamente elevados. De acordo com a entidade, o momento é “extremamente delicado” e o correto seria retomar o rigor das medidas de distanciamento social.

Para o biólogo e epidemiologista Atila Iamarino, com o relaxamento das medidas de controle sanitário, o cenário é de “estabilidade com tendência de subida”. Ele também argumenta que, caso medidas mais sérias tivessem sido adotadas, o Brasil poderia estar no fim da curva desta primeira onda da pandemia. Tivesse sido assim, milhares de mortes poderiam ter sido evitadas.

Interiorização

O estado mais afetado pela pandemia é São Paulo. O estado tem 192.628 casos confirmados e 11.846 mortos. Após duas semanas do relaxamento nas medidas de isolamento social, anunciado pelo governador, João Doria (PSDB), o estado registrou recordes de mortos por dois dias consecutivos. Hoje, foram 325 novas vítimas.

O aumento no número de casos acontece, especialmente, em cidades do interior. Após a capital ser fortemente afetada, agora Campinas, Ribeirão Preto, Sorocaba e Barretos vêem a escalada nos números. De acordo com a Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib), estas cidades estão com a capacidade de leitos hospitalares de terapia intensiva (UTIs) perto do limite.

A tendência de interiorização da covid-19 também é notável em outros estados. Em Minas Gerais, por exemplo, a cidade de Uberlândia registra mais casos do que a capital, Belo Horizonte. A tendência se repete no Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina e em todo o Centro-Oeste. A exceção está no Norte e Nordeste, que, após serem atingidos de forma severa logo no início do surto, agora apresentam estabilidade ou redução nos números.

Edição: Fábio M Michel