balanço

Brasil chega a 2.201 casos de coronavírus. São Paulo tem 40 mortes e Rio, seis

Maioria dos casos estão no Sudeste. São Paulo é o maior epicentro, com 40 mortes, seguido pelo Rio de Janeiro, com as outras seis

Isac Nóbrega
Ministério anunciou a aquisição de 22,9 milhões de testes, de forma progressiva, nos próximos meses

São Paulo – A pandemia de covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, no Brasil tem 2.201 casos confirmados e 46 mortes, uma letalidade de 2,1%, de acordo com o balanço de hoje (24). O Ministério da Saúde afirmou que o crescimento do número de contaminados está dentro da expectativa.

O número de contaminados deve aumentar exponencialmente nas próximas semanas. O ministério anunciou a aquisição de 22,9 milhões de testes, de forma progressiva, nos próximos meses. Serão dois tipos de testes, um rápido e menos preciso e outro mais eficiente, mas dependente de maior manejo clínico.

“Um dos testes é molecular, que detecta o vírus nos primeiros dias de contágio. Já o teste rápido é feito na ponta do dedo para verificar a presença de anticorpos (…) a sensibilidade dele é muito baixa nos primeiros dias, passando a ter sensibilidade de 86% após o quinto dia”, disse o secretário de Vigilância do Ministério da Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira.

Os testes rápidos serão utilizados em postos volantes em cidades com mais de 500 mil habitantes, para efeitos de contabilidade por amostragem. A ampliação das amostragens tem como objetivo seguir orientação da Organização Mundial da Saúde. Países com maior sucesso no controle da pandemia, como Coreia do Sul e Taiwan, aplicaram testes de forma intensa. No momento, como os testes ainda são poucos, existe a consciência de que existem muito mais casos não notificados.

De acordo com o ministério, já foram entregues 32.576 testes nesta segunda feira (23). “Até a próxima semana, chegam 2 milhões de testes que a Fiocruz adquiriu insumos na China e está montando. A Petrobras está doando 600 mil testes. Outras empresas privadas estão fazendo ajustes em máquinas para que possamos utilizar máquinas que testam tuberculose e HIV. Estamos ampliando a capacidade. Estamos adquirindo 1,3 milhão de testes com recursos do Ministério da Saúde. Estamos em negociação para adquirir milhões de testes para testar pessoas doentes internados, pessoas com sintomas leves por amostragem e trabalhamos em parceria com a iniciativa privada”, completou.

O caso é grave

Inicialmente, os testes devem mais precisos serão aplicados em profissionais da saúde e segurança, além de doentes graves e óbitos suspeitos.

“Estamos enfrentando uma pandemia. Possivelmente a maior desse século. Esperamos que seja menos letal do que a pandemia de 1918”, disse Wanderson, lembrando a pandemia de gripe espanhola, que matou 50 milhões em todo o mundo.

O local mais problemático segue sendo São Paulo. Das 46 mortes, 40 ocorreram no estado. São 810 casos de coronavírus confirmados nesse epicentro. Na sequência está o Rio de Janeiro, com 305 casos e seis mortes; seguido pelo Ceará, com 182 casos e Distrito Federal, com 160 casos. O Sudeste lidera como região com 58,1% dos contaminados, seguido por Nordeste (16,1%), Sul (12,3%), Centro-Oeste (9,8%) e Norte (3,7%).


Muito mais conteúdo aqui também