curtaessadica

Mostra em São Paulo une cinema e meio ambiente

Preços, horários e duração de temporadas são informados pelos responsáveis pelas obras e eventos. É aconselhável confirmar antes de se programar

Nandan Saxena e Kavita Bahl

Cena de ‘Não Posso Te Dar Minha Floresta’

De 15 a 29 de junho, várias salas de cinema da cidade de São Paulo recebem filmes com temática socioambiental. Além de produções nacionais, a 5ª Mostra Ecofalante vai exibir mais de 100 obras vindas dos Estados Unidos, Canadá, Alemanha, França, Grécia, Noruega, Bélgica, África do Sul, Uruguai e Chile, entre outros países. Segundo a organização, estarão em cartaz tanto produções contemporâneas como clássicos do cinema de diferentes épocas. A programação organiza as obras por abordagens temáticas, como cidades, economia, pessoas e lugares, mudança climática, recursos naturais. Confira a programação completa no site da mostra: www.ecofalante.org.br.

Retrato.jpgXis!

Está em cartaz até 31 de julho no Sesc Belenzinho, em São Paulo, a mostra Retrato Popular, que traz obras do acervo do Memorial da Cultura Cearense. A exposição tem curadoria de Rosely Nakagawa, Valeria Laena e Titus Riedl e celebra vários tipos de retrato: de coleções de monóculos, ex-votos fotográficos, câmeras de lambe-lambe, moldes e retratos pintados, fotografias, gravuras, lonas pintadas e esculturas em madeira e argila. Estarão expostas obras do Mestre Julio, um dos maiores nomes da fotopintura brasileira, de Tiago Santana, de Tonho Ceará e de Luiz Santos. A proposta é mostrar a importância do retrato como tradição comum em todo o Brasil, como patrimônio da história da fotografia regional e parte relevante do registro de cidadãos de todas as classes sociais. De terça a sábado, das 10h às 21h, e aos domingos e feriados, das 10h às 19h30, na Rua Padre Adelino, 1.000, em São Paulo. Mais informações: (11) 2076-9700. Grátis.

Retrato_trBX_foto_tiago_santna.jpg

Sonhos na capital

Em 1963, o Brasil vivia um período turbulento, com o governo e o Congresso em crise. Cheio de esperança nas propostas de reforma de João Goulart, Antonio Trindade sai de Minas Gerais com a mulher e os filhos rumo a Brasília. Seu objetivo era achar o paraíso na terra e, de quebra, melhorar a vida de sua gente. Mas logo vem o golpe e transforma todo o seu sonho em pesadelo.

cartaz_o_outro_lado_do_paraiso.jpg

Baseado no livro autobiográfico O Outro Lado do Paraíso (Geração Editorial, 48 págs.), de Luiz Fernando Emediato, o filme homônimo de André Ristum tem estreia nacional no início de junho. A trilha sonora, de Patrick De Jongh, tem participação especial de Milton Nascimento – que, além de interpretar uma das canções, toca sanfona, violão e cavaquinho.

Notícias em quadrinhos

Histórias de refugiados africanos em Malta, a miséria e os absurdos da guerra no Iraque, a ação de contrabandistas palestinos… Estes e outros assuntos ligados à temática da guerra estão ilustrados no livro Reportagens (Cia. das Letras, R$ 50), do correspondente de guerra Joe Sacco, cujo lançamento no Brasil está previsto para 27 de junho.

capa_Reportagens_Joe_Sacco.jpg

Do mesmo autor de Palestina – Uma Nação Ocupada e Notas Sobre Gaza, o novo livro apresenta as reportagens em quadrinhos, recurso para o qual o jornalista tem se voltado cada vez mais.

Com a subjetividade do “jornalismo em HQ”, a coleção traz o registros de encontros de Joe Sacco com diversas pessoas em áreas de conflito, histórias de horrores e de esperança que o autor revela com sensibilidade, mas também com crueza.

História e influência negra

Em 1996, enquanto realizavam reformas em sua casa, na Gamboa, no centro da capital carioca, Merced e Petruccio descobriram que embaixo da construção do século 18 havia um cemitério com muitas ossadas.

Instituto_Pretos_Novos_foto_Arthur_Moura.jpg

Naquela área foram enterrados os chamados “pretos novos”, os negros cativos que não resistiam à viagem da África e morriam antes de serem comercializados no Brasil.

O local foi transformado em sítio arqueológico e, mais tarde, em centro cultural. O Memorial dos Pretos Novos tem o objetivo de manter viva essa história e as influências deixadas pelas populações negras africanas que vieram do outro lado do Atlântico e enriqueceram nosso leque cultural. O espaço pode ser visitado de terça a sexta-feira, das 13h às 19h, na Rua Pedro Ernesto, 34 e 32, na Gamboa, Rio. Mais informações: (21) 2516-7089. Grátis.

Brasil, África e Caribe

Duas cidades em uma, quatro cabeças a serviço de uma música dançante e pensante: a banda soteropolitana Baiana System lança seu segundo álbum Duas Cidades, que traz a guitarra e o gingado baianos na linha de frente. O álbum que tem produção de Daniel Ganjaman traz 12 faixas que exalam a influência do ijexá, afoxé, do samba reggae, da cumbia, chula, do dub, kuduro, da cantiga de roda, da música eletrônica e outros sons que misturam influências do Brasil, da África e do Caribe. Desigualdade social, especulação imobiliária, sobrevivência na selva de pedras e as forças da natureza são alguns dos temas das canções do disco que pode ser ouvido na íntegra no site www.baianasystem.com. Preço sob consulta.

capa_baiana_system_duas_cidades.jpg

Leia também

Últimas notícias