Em alta

Debandada na Bahia: prefeitos abandonam ACM Neto e se aliam a Jerônimo. Trezentos já estão com o petista

Campanha do PT na Bahia comemora novos apoios a Jerônimo Rodrigues. Para não perder votos, ACM Neto tenta ficar neutro sobre disputa presidencial, mas deve conceder parte de sua estrutura no estado para angariar votos a Bolsonaro

Fotos: Divulgação UB e PT
Fotos: Divulgação UB e PT
Queremos ampliar a votação de Jerônimo como vamos ampliar a votação de Lula", anunciou o PT da Bahia

São Paulo – A semana após o fim do primeiro turno das eleições, no último domingo (2), tem sido marcada pelo anúncio de novos apoios políticos ao ex-secretário de Educação Jerônimo Rodrigues (PT), candidato ao governo da Bahia. O petista, que ficou perto de vencer ainda no primeiro turno, com 49,45% dos votos, vem recendo o apoio de prefeitos que não marcharam com ele no início da campanha. 

Jerônimo vai disputar o cargo no próximo dia 30 contra o ex-prefeito de Salvador ACM Neto (União Brasil), que recebeu 40,8% dos votos válidos. Mas, enquanto ele amplia sua base, ACM Neto vem perdendo aliados nas cidades baianas, que estão migrando seus apoios para o candidato do PT. Antes favorito, o ex-prefeito viu sua vantagem cair nas urnas e, apenas por cerca de 45 mil votos, não foi derrotado ainda no domingo. Desde então, o representante do carlismo já perdeu apoio do PSC, que estava com ele no primeiro turno, e até do deputado estadual David Rios, que é de seu próprio partido, o União Brasil, entre outros. 

Ambos passaram a integrar a rede de mais de 300 prefeitos que apoiam Jerônimo Rodrigues, também candidato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A prefeita de Conceição de Jacuípe, Tânia Yoshida (PSD); o prefeito de Novo Horizonte, Djalma Anjos (PP), e o prefeito de Serrinha, Adriano Lima (PP), que apoiou o ex-ministro João Roma (PL), anunciaram apoio ao petista. Além deles, o ex-prefeito de Araci, Silva Neto (PDT) também se manifestou a favor da eleição de Jerônimo. Assim como o partido Patriota e lideranças do Solidariedade. O candidato a governador Kleber Rosa (Psol), que acabou em quarto na corrida, também anunciou apoio ao ex-secretário. 

Dobradinha Lula e Jerônimo Rodrigues

O presidente do PT da Bahia, Éden Valadares, em entrevista ao portal baiano A tarde comemorou a ampliação do apoio ao candidato no estado. De acordo com Valadares, a campanha do petista deve, contudo, continuar trabalhando para garantir a vitória do candidato no estado e também ampliar os votos de Lula na Bahia. Jerônimo venceu em 351 dos 417 municípios. No entanto, não conseguiu a fatia de 1,8 milhão de eleitores que votaram no ex-presidente Lula na corrida pelo Palácio do Planalto, mas não no candidato petista para governador. 

“É com enorme alegria que a gente recebe o apoio dos partidos políticos, dos prefeitos, dos ex-prefeitos e de lideranças, forças vivas da sociedade, que reconhecem a força do nosso grupo, a força da nossa campanha, o trabalho realizado por Rui Costa, a liderança de Jaques Wagner e a liderança do companheiro Jerônimo, que será o próximo governador da Bahia. (Mas) aqui não existe salto alto. Nunca tiramos a sandália da humildade, recebemos com entusiasmo esses apoios, mas não baixamos a guarda um milímetro”, anunciou o presidente do PT na Bahia. 

“Aqui é trabalho, aqui sempre foi trabalho e sempre será. Então, força total, vamos manter nossa militância aguerrida nas ruas, nas redes, nas roças. Vamos manter os nossos comitês abertos, vamos manter força total. Queremos ampliar a votação de Jerônimo como vamos ampliar a votação de Lula. Nem um segundo de descanso: aqui é trabalho, trabalho e trabalho”, acrescentou Valadares. 

ACM faz apoio velado a Bolsonaro

Em paralelo, a campanha de ACM Neto pretende apostar na “neutralidade” sobre a disputa para a presidência da República. Uma vez que a rede do ex-prefeito estima que metade dos 3,3 milhões de votos recebidos por ACM Neto no domingo foram de eleitores de Lula. O que torna improvável um apoio ao atual presidente Jair Bolsonaro (PL). 

Mas, a coluna de Lauro Jardim, do jornal O Globo, identificou que há um acordo sendo costurado por apoiadores de Bolsonaro para que, apesar de não ceder palanque, ACM Neto conceda parte da estrutura política de campanha para trabalhar pelo candidato à reeleição. Nesse caso, prefeitos, deputados e cabos eleitorais que trabalham pelo ex-prefeito também vão buscar angariar voto a Bolsonaro. Mas sem divulgação para não comprometer a campanha ao governo estadual. 

Ao jornal Valor Econômico, integrantes da campanha bolsonarista afirmaram que há um “apoio velado” de ACM Neto ao candidato do PL. E que a relação entre os dois “é ótima”. Ontem (6), os deputados Arthur Maia e Elmar Nascimento, ambos do União Brasil da Bahia e muito próximos do ex-prefeito, estiveram no Palácio da Alvorada entre dezenas de deputados que foram mostrar apoio a Bolsonaro no segundo turno. 

Com informações dos portais Bahia.ba e Jornal da Chapada