'O leitor entenderia?'

Chico Buarque relembra frase censurada pela Globo sobre prisão de Lula: ‘O Globo faz a diferença’

Perguntado sobre a prisão de Lula, em 2018, cantor questionou papel da Globo na cobertura da Lava Jato

REPRODUÇÃO
'O chefe de redação disse que o leitor não entenderia, mas será que, hoje, o leitor entende?', questionou o artista

São Paulo – O cantor e compositor Chico Buarque relembrou uma frase crítica ao jornal O Globo, censurada em entrevista concedida ao veículo sobre a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2017. Ao ser questionado sobre a condenação do petista, Chico respondeu ao jornalista: “O Globo faz a diferença”, uma crítica sobre a atuação do veículo durante a Operação Lava Jato. Entretanto, a fala não entrou na matéria e, segundo o artista, a redação alegou que “os leitores não entenderiam”.

“Quando o Lula foi condenado, o jornal O Globo pediu a opinião de várias pessoas e fui um dos entrevistados. Na ocasião, disse o seguinte: ‘O Globo faz a diferença’. No dia seguinte, o jornal não colocou minha declaração e perguntei o porquê da censura. O chefe de redação disse que o leitor não entenderia, mas será que, hoje, o leitor entende?”, questionou o artista, em vídeo publicado pelo jornalista Leonardo Attuch, do Brasil 247.

Globo e Lava Jato

Nesta terça-feira (9), o site The Intercept Brasil revelou diálogos que mostram a relação entre o procurador da Lava Jato Deltan Dallagnol e jornalistas das Organizações Globo. As conversas mostram que Dallagnol atuava alinhado com a Rede Globo e pediu apoio ao presidente do conselho editorial, João Roberto Marinho, e ao jornalista Merval Pereira, comentarista da GloboNews.

Além disso, em uma das diversas conversas divulgadas pelo site, o jornalista Vladimir Netto, filho de Miriam Leitão, que fez a cobertura jornalística da Lava Jato pela Globo, orienta Dallagnol a como proceder durante a condução coercitiva do ex-presidente Lula, realizada em 4 de março de 2016. Na ocasião, ele orienta os procuradores a não divulgar nota oficial.

As conversas vazadas fazem parte da Operação Spoofing, que investiga o vazamento por parte dos celulares dos procuradores da Lava Jato e o ex-juiz federal Sergio Moro. A defesa de Lula, desde dezembro, tem acesso aos arquivos, que tiveram parte revelada pelo Supremo Tribunal Federal.

Confira o vídeo: