Isolado

Datafolha: para 51%, Bolsonaro mais atrapalha do que ajuda no combate ao coronavírus

Levantamento mostra que 39%, dos entrevistados avaliam gestão do presidente como ruim ou péssima

Isac Nóbrega/PR
Datafolha ainda aponta o Nordeste como maior centro de rejeição ao presidente, com a maior taxa de ruim e péssimo (42%)

São Paulo – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem perdido apoio da população em meio à pandemia causada pelo novo coronavírus. Com as declarações controversas e a falta de ações, a reprovação ao presidente chegou a 39%, segundo pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (3).

A reprovação cresceu de 33% para 39% em comparação à pesquisa realizada em 18 de março. A aprovação oscilou negativamente, de 35% para 33%. O levantamento ouviu 1.511 pessoas por telefone e tem margem de erro de 3 pontos percentuais, para mais ou menos.

Desde a última pesquisa, o presidente fez um pronunciamento nacional criticando o isolamento social, minimizou a pandemia causada pela Sars-CoV-2 e atacou as medidas adotadas pelos governos estaduais e prefeituras. Para 51% dos entrevistados, Bolsonaro mais atrapalha do que ajuda no combate ao vírus.

Segundo o Datafolha, Jair Bolsonaro é pior avaliado entre as mulheres (43% de reprovação), pessoas com curso superior (50%) e mais ricos (46%) , com renda familiar acima de 10 salários mínimos mensais.

Pesquisa

A pesquisa mostra que a popularidade do Ministério da Saúde e dos governadores estaduais é maior que a do presidente da República. A pasta conduzida por Luiz Henrique Mandetta, por exemplo, tinha aprovação de 55%, que agora saltou para 76%.

Os governos estaduais também têm aprovação da população: 58% dos brasileiros aprovam a gestão de seus governadores. Os que reprovam representam 16%. Já os prefeitos recebem ótimo e bom de 50% dos entrevistados, 25% de regular e 22% de ruim e péssimo.

O Datafolha ainda aponta o Nordeste como o maior centro de rejeição ao presidente, com a mais elevada taxa de ruim e péssimo (42%). É a região em que mais entrevistados acham que Bolsonaro mais atrapalha o combate ao coronavírus (57%) do que ajuda.