Império do Meio

TVT apresenta aos brasileiros atrações, histórias e até sabores de Pequim

Em dois programas especiais, a TVT leva aos brasileiros parte da história e cultura da capital da China, o gigante asiático cada vez mais relevante no cenário global

WikiCommons/CC
WikiCommons/CC
TVT foca suas lentes para exibir um pouco da cultura local, passando por pontos turísticos como a Cidade Proibida

São Paulo – A TVT foi até a China para trazer ao espectador brasileiro atrações, referências históricas e culturais e até os sabores e texturas de um povo de culturas milenares. Um país que operou prodígios, reconhecidos internacionalmente por órgãos como a ONU, no combate à fome, à violência e à pobreza. Agora, o gigante asiático deixa de ser “o futuro” e é realidade, uma economia pujante com relevância definitiva no cenário global.

Assim, a TVT apresenta amanhã (25) e em 1º de novembro, sempre às 18h, dois programas com foco na capital chinesa, Pequim, também chamada de Beijing, de uma forma mais correta de acordo com o idioma local. A jornalista Talita Galli, apresentadora do programa Bom Para Todos, embarcou nesta viagem com Jô Miyagui, repórter do Seu Jornal. “Procuramos apresentar os pontos importantes da cidade, trazendo a história de cada um deles”, conta Talita.

A realização faz parte de um convite da prefeitura de Pequim, em parceria com o China Media Group. Apesar da distância, os laços entre China e Brasil são fortes. Trata-se do maior parceiro comercial brasileiro, que a cada dia desperta mais interesse, seja pelos atributos econômicos ou culturais, que englobam a história de um império resiliente e milenar, que hoje se apresenta como República Popular da China.

China do turismo

Não à toa, em mandarim, China se fala “Zhongguó”, ou “Império do Meio”, em tradução literal. Então, a TVT coloca o foco de suas lentes para exibir um pouco da cultura local, passando por pontos turísticos como a Cidade Proibida, a Praça da Paz Celestial (Tianmen) e, claro, a Grande Muralha da China. “Este primeiro episódio tem foco no turismo, de uma forma bem leve e extrovertida. O objetivo é de fazer com que as pessoas conheçam esses lugares com a gente, mas também tenham a vontade de ir até lá viver essa cultura e história milenares”, comenta Talita.

Talita explica que a cidade estruturou o turismo a partir de zonas de interesse. “A cidade criou o que chama de ‘Eixo Central’. Um eixo de oito quilômetros que passa pelos principais pontos turísticos de Pequim, tanto da China imperial quanto da República Popular da China (…) O primeiro programa trará este eixo central. Além disso, em 2008, com as Olimpíadas, expandiram este eixo para englobar o Ninho de Pássaro e o Cubo D’Água.”

Vida no Império e na República

Já o segundo programa apresenta um pouco da vida do cidadão de Pequim. Arte e cultura se encontram de forma especial nos hutongs. São moradias da época imperial, sempre muito vivas, que agora viraram polo cultural com qualidades extremamente pitorescas. Então, essas moradias ficam próximas à Cidade Proibida, antiga fortaleza que servia de moradia para os imperadores das tantas dinastias que comandaram a “terra do meio”.

“As pessoas moravam nesses hutongs que eram pátios com várias casas, cada uma com uma família. Então, tinham cozinha coletiva, banheiros coletivos. Isso existe até hoje, tem partes revitalizadas, alguns particulares e outras com cobrança de aluguel simbólico”, explica Talita. Trata-se de uma política para povoar o centro e ampliar a dinâmica socio-cultural da cidade.

Além disso, o programa manterá foco em expressões artísticas típicas. “Falamos sobre cultura. Restauração de porcelana, xilogravura, que nasceu na China. Conhecemos os métodos, mostramos exposições e espetáculos de dança muito bacanas. Mostramos tudo isso, cultura e estilo de vida. Também temos gastronomia, pratos típicos”, completa Talita.


Leia também


Últimas notícias