Decisões

Espanha x Rússia, Croácia x Dinamarca: Copa define mais um confronto das quartas

Espanhóis enfrentam entusiasmo e 'maldição' contra os donos da casa, enquanto Croácia espera confirmar que foi à Rússia para superar estimativas de 'promessa' e se candidatar ao título

rfef / cc0 wikimedia
Espanha Russia Croacia Dinamarca

Isco e Diego Costa (Espanha), Zobnin (Rússia), Modric (Croácia) e Eryksen (Dinamarca), destaques das oitavas de final da Copa da Rússia neste domingo

São Paulo – Depois de França x Argentina e Uruguai x Portugal abrirem a fase de mata-matas da Copa do Mundo de futebol, Espanha x Rússia e Croácia x Dinamarca fazem neste domingo (1º) o segundo dia de confrontos válidos pelas oitavas de final do Mundial da Rússia. Os vencedores se classificam para a fase seguinte, quando se enfrentarão, enquanto os derrotados serão eliminados da competição.

Chegando ao primeiro lugar do Grupo B graças a um gol nos acréscimos para apenas empatar contra o Marrocos (2 a 2), a seleção da Espanha tenta confirmar que é uma das favoritas ao título, jogando contra a dona da casa, que terá  o apoio maciço de sua torcida para passar de fase. A partida será jogada a partir das 11h (horário de Brasília), em Luzhniki.

Depois de empatar com Portugal na estreia e passar com dificuldade por rivais jogando retrancados – Irã e Marrocos –, os espanhóis esperam que o time russo atue de modo mais ofensivo o que, para o técnico Fernando Hierro, pode favorecer a troca rápida de passes que caracteriza sua equipe.

Mas o treinador também alerta para o perigo de ser envolvido pelo futebol do adversário. “Concentração o tempo todo. A Rússia é muito rápida e temos que ter cuidado com as perdas de bola, porque eles saem no contra-ataque com muita velocidade”, disse o treinador.

Além do contra-ataque,os russos fizeram metade dos seus oitos gols na primeira fase a partir de lançamentos longos e jogadas de bola parada. “Estudamos detalhes para aplicar e conseguir a vitória. Uma equipe precisa entender suas forças e encontrar a tática”, disse o técnico Stanislav Cherchesov, neste sábado (30).

A Rússia começou o Mundial jogando mal e desacreditada pela própria torcida, mas duas boas vitórias – sobre a Arábia Saudita (5 a 0) e Egito (3 a 1) –, entusiasmaram os anfitriões, que mostraram apoio ao time mesmo depois da derrota de 3 a 0 para o Uruguai. “A derrota para o Uruguai não quer dizer que estamos fora do torneio. Não. Queremos mais. É a partida de nossas vidas”, disse o atacante russo Artem Dzyuba.

A Fúria, como é chamada a seleção da Espanha, tenta superar um tabu contra a Rússia: nunca ter vencido um time do país que sedia um Mundial. Foi assim na derrota para a Itália em 1934 (nas quartas de final), para o Brasil em 1950 (na fase final) e para a Coreia do Sul em 2002 (quartas de final). “É o momento romper com isto e vencer a Rússia”, disse o defensor Azpilicueta.

Croácia favorita

Após vencer as três partidas de seu grupo na primeira fase, com destaque para os 3 a 0 sobre a Argentina, a Croácia chega às oitavas para mostrar que pode passar de “surpresa” a candidata ao título, jogando contra a Dinamarca, em Nijni Novgorod, às 15h. Os croatas são comandados no meio campo por Ivan Rakitic e Luka Modric, dois dos principais jogadores de Barcelona e Real Madrid, respectivamente.

Por já estarem na casa dos 30 anos, esta pode ser a última Copa de ambos. “Eu não sei se será a última chance dessa geração dourada de fazer algo junto. Nosso objetivo é ir passo a passo, preparando jogo a jogo. Claro que há sempre pressão, mas o melhor que pode acontecer para os jogadores é celebrar esse evento, a Copa”, afirmou Rakitic, em entrevista coletiva neste sábado.

O técnico Zlatko Dalic disse que seu time jogará para manter a posse de bola até que surjam as chances para concluir as jogadas e chegar à vitória. “Nós não podemos correr. Precisamos ser pacientes e esperar pela nossa chance. Tudo vai depender de nós mesmos. A gente precisa jogar de forma inteligente, as emoções precisam nos guiar, mas a cabeça precisa estar fria, forte.”

A Dinamarca classificou-se em segundo lugar do Grupo C, mostrando uma defesa considerada das mais sólidas da Copa, tendo sofrido apenas um gol nos três jogos disputados – vitória sobre o Peru (1 a 0) e empates com Austrália (1 a 1) e a França (0 a 0).

Mas os dinamarqueses podem mudar sua postura neste duelo pelas oitavas de final do Mundial. O técnico Age Hareide prometeu que sua equipe será mais ofensiva contra os croatas. “Eu acho que vocês vão ver uma Dinamarca diferente de tudo que viram até agora. Precisamos jogar de maneira diferente para progredir. Precisamos defender, mas também precisamos atacar mais do que fizemos em partidas anteriores”, disse o treinador.