Tempos de pandemia

Brasil Fede Covid afirma estar sendo censurado pelo Instagram

Organizadores do perfil relatam que denúncias de aglomerações estão perdendo alcance. Assessoria da rede social informa não responder sobre perfil específico

Reprodução
Festa com aglomeração e sem máscaras após a eleição do presidente da Câmara, Arthur Lira, também foi denunciada pelo Brasil Fede Covid

São Paulo – O perfil Brasil Fede Covid denuncia que está sendo censurado pelo Instagram. “Inacreditável ver um perfil de utilidade pública ser censurado por querer salvar vidas”, postaram os responsáveis pela página criada no final de dezembro do ano passado e que já conta com mais de 320 mil seguidores.

Brasil Fede Covid: ‘Falhamos como sociedade’, diz criador de perfil no Instagram que denuncia CovidFest

O grupo, de cerca de 20 voluntários anônimos, denuncia festas e outras aglomerações que desrespeitam as recomendações sanitárias no combate à covid-19. Por isso, sofre ameaças. E, agora, lida também com o apagamento na comunidade virtual. “Há duas semanas nosso perfil simplesmente sumiu da busca do Instagram para novas pessoas”, afirma o coletivo à reportagem da RBA. “Muitas pessoas começaram a reclamar no Twitter que não estavam nos achando. Daí começamos a testar e percebemos que o perfil não aparecia mais mesmo.”

O engajamento, segundo relatam, também “diminuiu absurdamente”. Na primeira quinzena de janeiro as publicações do Brasil Fede Covid tinham em média 200 mil pessoas de alcance. Mas atualmente dificilmente passa de 20 mil.

Postagens delatadas

Os responsáveis pelo perfil Brasil Fede Covid no Instagram informaram, ainda, que suas publicações começaram a ser deletadas “do nada”. Segundo explicam, bastou alguém denunciar como se difundissem mensagens de ódio, para que o Instagram apagasse os posts. “O que acontece? Os promotores das festas fazem mutirões para derrubar nosso Instagram e publicações. Como o Instagram não verifica essas denúncias, eles derrubam as publicações.”

Para exemplificar, mostram uma publicação do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), que foi apagada pela rede social. “Essa publicação do governo do Maranhão aparece como falsa para muita gente em nosso perfil.” Denunciada como falsa, foi derrubada. “Como é inteligência artificial, acabam derrubando sem checar”, denuncia o Brasil Fede Covid.

Postagem de Flávio Dino que foi retirada pelo Instagram como sendo “informação falsa”

Ficam os rentáveis?

Para os organizadores da página de denúncias, o Instagram mantém publicações rentáveis. “As festas são rentáveis e, principalmente, os artistas! Como denunciamos todo mundo, acabamos comprando uma briga grande.”

O perfil relata que tem recorrido ao Instagram na tentativa de resolver o problema. Sem resposta. “Denunciamos perfis fake o tempo todo. Denunciamos pessoas que nos ameaçam o tempo todo. Antes de ontem um rapaz nos ameaçou, em um vídeo no qual ameaça o Doria (João Doria, governador de São Paulo) também. Milhares de denúncias, e não foi feito nada contra o perfil dele”, criticam. “Há semanas estamos pedindo o selo de verificação azul do Instagram. Isso evitaria a perda de engajamento e as denúncias, mas nunca tivemos resposta.”

A reportagem da Rede Brasil Atual entrou em contato com o Instagram para que comentasse as denúncias feitas pelo Brasil Fede Covid. A resposta foi a seguinte: “O Instagram não divulga informações de contas de terceiros”. E sugere um link (clique aqui) onde podem ser encontradas mais informações sobre as Diretrizes da Comunidade do Instagram.

O link, no entanto, não explica se e por que razão a comunidade virtual mantém publicações de festas e aglomerações em desacordo com as orientações das autoridades de saúde. Nem responde se, por responsabilidade social, não deveriam suspender a publicação de eventos que poderão propagar o novo coronavírus. O Brasil conta mais de 230 mil mortes pela covid-19, ostentando a vergonhosa segunda posição em óbitos no mundo.

Projeto de lei

Essa semana, o Brasil Fede Covid avisou aos seus seguidores que, em razão do que classifica como censura por parte do Instagram, fará “uma pausa de alguns dias” nas publicações, em razão da situação anômala que enfrentam. “Nas três primeiras semanas (de janeiro) tivemos quase 45 milhões de impressões semanais. Agora tá batendo 10 milhões”, relatam. “Mas o engajamento é o de menos. Só queríamos que o perfil voltasse a ser encontrado pelas pessoas que querem denunciar.”

Questionados sobre se o próprio Instagram deveria recusar, temporariamente, posts que convoquem para festas, aglomerações, o Brasil Fede Covid foi taxativo. “Nossa! Com toda certeza. Esse é o nosso objetivo.”

Os responsáveis pelo perfil revelaram à reportagem da RBA que estão elaborando um projeto de lei que será apresentado por um deputado. “O objetivo é criminalizar a divulgação de festas clandestinas. O Instagram deveria derrubar essas divulgações. Então, o PL está sendo estruturado por um escritório de advocacia que nos ofereceu ajuda jurídica. Deveremos ter o PL na próxima semana.”