Acampados

Acampamento Lula Livre: o homem que semeia sonhos

Entre os acampados que pedem liberdade ao ex-presidente é possível encontrar João Bello, que divulga a mensagem de uma sociedade mais fraterna por meio de apresentações artísticas com poesia e música

Reprodução
joão bello

“Viajo o Brasil todo semeando sonhos de paz, amor, esperança e harmonia”, conta João Bello

São Paulo – Em meio ao acampamento em solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, nas proximidades da Superintendência da Polícia Federal do Paraná, onde ele está detido, é possível encontrar pessoas de todos os cantos e de perfis distintos. Em geral, todos unidos pelo sentimento de injustiça em relação à prisão de Lula.

Heraldo Alves Costa, 55 anos, hoje é aposentado, mas pediu à reportagem da RBA para fazer um contraponto aos comentários negativos feitos contra o acampamento, em especial os publicados nas redes sociais. Hoje, ele se soma aos demais para pedir liberdade do ex-presidente. “Acho que ele é um preso político, não conseguiram provar nada”, afirma.

“Nesse acampamento estão pessoas humildes, trabalhadores”, conta, rebatendo os xingamentos direcionados aos acampados. “Aqui só tem gente de boa fé, e a gente aprende muito com essas pessoas, cada um tem uma mentalidade, uma formação diferente, pessoas de grande futuro para a nação brasileira”, aponta. “Essa mídia golpista, a Globo, que não tem coragem de vir até aqui e mostrar a realidade de cada um.”

Já João Bello, 63 anos, era jornalista comunitário e criou um jornal no bairro Bacacheri, o mais antigo de Curitiba, onde vive o juiz federal Sérgio Moro. Também fundou a rádio comunitária Burro Bravo e amanhã (18) fará um show no acampamento, com Susi Monteserrat e o filho Jerônimo Bello. “Moro em Curitiba, nesse bairro, mas viajo o Brasil todo semeando sonhos de paz, amor, esperança e harmonia”, conta.

Atualmente, ele tem um projeto chamado O Semeador de Sonhos, que pretende propagar a mensagem de uma sociedade mais fraterna por meio de apresentações artísticas com poesia e música. Bello destaca que o ganhador do Prêmio Nobel da Paz de 1980, Adolfo Pérez Esquivel, prefaciou um livro seu, O Parque dos Sonhos, obra que deu origem a seu projeto. “E amanhã vou ver o Esquivel novamente, que vai vir fazer uma visita ao Lula”, celebra.

Confira abaixo o vídeo com os depoimentos de Heraldo e João.

Com reportagem de Cláudia Motta, em Curitiba