mercado

Documentário investiga relação de incêndios em favelas com especulação imobiliária

'Limpam com Fogo', que será exibido hoje (19), contém entrevistas com a arquiteta Ermínia Maricato, o prefeito Fernando Haddad e o jornalista Leonardo Sakamoto

Facebook/Limpam com fogo
incendio favela.jpg

Documentário será exibido hoje (19), às 18h, no Tuca, em São Paulo. Entrada é franca

São Paulo – “Há aquela pulga atrás da orelha das pessoas, pelo fato de as favelas que mais pegam fogo são as melhores localizadas, com o terreno valorizado”, questiona o jornalista Conrado Ferrato, que dirigiu o documentário Limpam com Fogo, que investiga a relação entre os incêndios em comunidades de São Paulo e a especulação imobiliária. A obra será exibida hoje (19), no Teatro da Universidade Católica, o Tuca.

Segundo Ferrato, em entrevista ao Seu Jornal,da TVT, mesmo sem provas, os moradores afetados pelas tragédias acreditam que são alvos do mercado. “Na favela do Piolho, poucos meses antes (do incêndio) havia sido organizado um abaixo-assinado dos moradores do entorno pedindo a remoção da favela. Um dos responsáveis pelo condomínio (próximo a comunidade) procurou a prefeitura pedindo para remover a favela, sendo que a remoção não é política utilizada mais. Então, ele foi negado, mas um mês depois a favela pega fogo e é completamente dizimada.”

O diretor conta as dificuldades enfrentadas pela equipe durante as gravações dos incêndios, sobretudo pelo desespero dos moradores. “As pessoas estão perdendo a vida inteira, entram em desespero por perder aquele pouco de casa que conseguiram construir.”

Conrado destaca a entrevista de Dona Conceição, que foi duas vezes vítimas de incêndio. “Ela perdeu tudo duas vezes ao longo da produção em 2012 e 2014. Agora, ela mora numa calçada, porque tem medo de voltar para favela e morrer no fogo.”

O documentário entrevista também a arquiteta Ermínia Maricato, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, e o jornalista Leonardo Sakamoto. A obra será exibida às 18h. O Tuca fica na rua Monte Alegre, 1.024, no bairro de Perdizes, zona oeste. A entrada é franca.

Assista a entrevista de Conrado Ferrato ao Seu Jornal, da TVT:

Leia também

Últimas notícias